Vídeo de câmera de segurança mostra morte de uma das vítimas de chacina em Toledo

Imagens de câmera de segurança registraram a morte de uma das vítimas do policial militar Fabiano Garcia, que matou oito pessoas entre a noite de quinta (14) e madrugada desta sexta-feira (15) em Toledo e Céu Azul, no Oeste do Paraná. Entre os mortos, estão a esposa, a mãe e os filhos do PM. Após o crime, Garcia tirou a própria vida.

O vídeo mostra o momento em que Fabiano está em um carro em uma rua em Toledo e chama o adolescente Kaio Felipe Siqueira da Silva, de 17 anos, que estava passando. O PM não conhecia a vítima.

O adolescente para na janela do carro e conversa por alguns segundos com o policial. Na sequência, Kaio é atingido pelos tiros. Veja:

O caso

O policial militar Fabiano Junior Garcia, de 37 anos, matou seis familiares e mais duas pessoas entre a noite de quinta (14) e madrugada desta sexta-feira (15) em Toledo e Céu Azul.

O policial trabalhava no 19º Batalhão de Polícia Militar de Toledo. De acordo com a PM, o agente de segurança trabalhou na quinta-feira (14) e saiu do plantão no início da noite.

O soldado matou a esposa e um filho em Toledo e, em seguida, foi para Céu Azul. Ao chegar na cidade, ele tirou a vida de mais dois filhos, que moravam com a avó materna.

A PM acredita, ainda, que o policial tenha voltado para Toledo, onde matou a mãe, o irmão e duas pessoas que passavam na região. O homem tirou a própria vida após os crimes.

Fabiano chegou a mandar um áudio para amigos e familiares explicando a chacina. Ele pediu desculpas, afirmou que não conseguia viver sem a esposa e afirmou que cometeu o crime “para não deixar peso para ninguém”.

A Polícia Civil investiga o caso. O carro usado pelo soldado foi apreendido.

Veja quem são as vítimas:

  • Kassiele Moreira Mendes Garcia, esposa, 28 anos
  • Miguel Augusto da Silva Garcia, filho, 4 anos
  • Kamili Rafaela da Silva Garcia, filha, 9 anos
  • Amanda Mendes Garcia, enteada, 12 anos
  • Irene Garcia, mãe, 78 anos
  • Claudiomiro Garcia, irmão, 50 anos
  • Kaio Felipe Siqueira da Silva,17 anos
  • Luiz Carlos Becker, 19 anos

Corporação afirma que o PM não tinha indícios de problemas psicológicos

Em entrevista coletiva, o Comandante-Geral da PMPR, Coronel Hudson Leôncio Teixeira, falou sobre o ocorrido. Teixeira afirmou que Fabiano Garcia teve um dia normal de trabalho, e que tudo aconteceu após o fim do expediente.

Segundo o Comandante-Geral, os superiores de Fabiano afirmaram que não havia indícios de que o PM tivesse a intenção de cometer os crimes. 

“Não havia indicativos, fora a questão da separação e as dívidas que ele tinha. Era um excelente policial, pelo que foi dito. Causou estranheza, surpresa e decepção para todos nós essa situação”.

Nota da PM

“A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo-PR e Céu Azul-PR.

O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico que pudesse indicar problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade.

Desde dezembro de 2020 a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico e social aos militares e dependentes, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares”.

Nota da SESP

“A Secretaria da Segurança Pública lamenta o caso ocorrido em Toledo e Céu Azul e informa que as Polícias Civil, Militar e Científica não medirão esforços para apurar a motivação dos fatos. 

Foi instaurado inquérito policial nas delegacias de ambas as cidades (Toledo e Céu Azul). Perícias foram realizadas nos locais e equipes de investigação seguem na coleta de informações e realizam diligências para concluir o caso.

Segundo a Polícia Militar, o policial,  que prestava serviços no 19º Batalhão, em Toledo, não tinha histórico que pudesse indicar problemas psicológicos.

A Secretaria ressalta ainda que conta com o Programa de Atenção Psicossocial (PRUMOS), implantado em todo o Estado, desde 2020, para oferecer atendimento psicossocial a servidores e familiares. Neste caso, as equipes do PRUMOS de Foz do Iguaçu e Toledo já estão atuando no suporte à família das vítimas. Além disso, uma equipe da capital também irá para a região para fornecer todo o apoio necessário”.