PF abre inquérito contra Bolsonaro sobre crime de prevaricação em caso Covaxin

(Reuters) – A Polícia Federal formalizou a abertura de inquérito contra o presidente Jair Bolsonaro por possível crime de prevaricação no caso envolvendo suspeitas de irregularidades nas negociações para a compra da Covaxin, disse uma fonte com conhecimento do assunto nesta segunda-feira.

O inquérito foi aberto pela PF depois que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou na terça-feira de semana passada a investigação para a corporação.

Com o inquérito, a Polícia Federal poderá vir a tomar o depoimento do chefe do Executivo, entre outras diligências a serem cumpridas no caso.

Rosa Weber atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), cuja solicitação decorreu de notícia-crime enviada ao Supremo por senadores de oposição, que buscam a investigação da conduta de Bolsonaro.

De acordo com os parlamentares, o presidente não teria tomado providências após ser alertado pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) e pelo irmão dele, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, sobre supostas irregularidades nas tratativas para compra de doses da vacina contra Covid-19 Covaxin.

O presidente tem afirmado que tomou providência sobre o caso, um dos focos principais das investigações da CPI da Covid do Senado.

Bolsonaro é alvo de outro inquérito no STF, aberto no ano passado para apurar se ele cometeu crime em uma suposta tentativa de interferir no comando da Polícia Federal.

Por Ricardo Brito

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6B0RF-BASEIMAGE