PM que matou artista plástico é condenado a 15 anos de prisão

O policial militar que matou o artista plástico NegoVila foi condenado a 15 anos de prisão em regime fechado. O crime foi cometido em novembro de 2020, em São Paulo (SP). O agente Ernest Granaro, porém, poderá recorrer da decisão em liberdade. 

NegoVila, nome artístico de Wellington Benfati, foi morto a tiros pelo sargento, no bairro de Vila Madalena, zona oeste da capital paulista. Os dois teriam discutido em frente a uma distribuidora de bebidas. 

Oito testemunhas foram ouvidas durante o julgamento. Granaro foi preso em flagrante na época do crime e ficou detido no presídio Romão Gomes, da Polícia Militar. Ele foi solto em março deste ano. A juíza responsável pela decisão acrescentou que o assassino não pode ter arma de fogo e está impedido de voltar a trabalhar em patrulhamento na rua. 

No dia do assassinato, o PM estava de folga e sem farda quando atirou no artista de 40 anos. De acordo com testemunhas, o Ministério Público sustentou que Granaro cometeu homicídio doloso, quando há a intenção de matar.  

A defesa do agente alegou, inicialmente, que a situação foi em legítima defesa. Depois, mudou a versão para tiro acidental. NegoVila deixou uma filha que completou 11 anos em 2022. 

Informações SBT News