Polícia do Capitólio dos EUA foi sobrecarregada por invasores, diz chefe interina

(Reuters) – A polícia do Capitólio dos Estados Unidos estava ciente da possibilidade de violência de extremistas quando o local foi atacado por apoiadores do ex-presidente Donald Trump, mas foi sobrecarregado rapidamente pelos invasores, disse a chefe interina da polícia do Parlamento norte-americano.

A inteligência coletada antes do ataque de 6 de janeiro levava a crer que a reunião teria a participação de “milicianos (armados), supremacistas brancos e outros grupos extremistas”, disse Yogananda Pittman em um depoimento a ser feito nesta quinta-feira ao Comitê Orçamentário da Câmara dos Deputados.

Pittman era chefe de polícia assistente de Operações de Proteção e Inteligência do departamento no dia 6 de janeiro e disse que era responsável por sua Divisão de Inteligência e de Coordenação Interagências (IICD).

Apoiadores de Trump viram a data como a última oportunidade de reverter os resultados da eleição presidencial, e sua sensação de desespero e decepção “pode levar a uma espécie de incentivo para se tornar violento”, disse o IICD em uma avaliação emitida em 3 de janeiro, de acordo com Pittman.

“Embora o departamento estivesse preparado para neutralizar e retirar indivíduos ou grupos praticando desobediência civil ou violência entre os manifestantes, foi sobrepujado rapidamente por milhares de insurretos (muitos armados) que imediatamente e sem provocação começaram a atacar agentes, contornando barreiras físicas e se recusando a obedecer ordens legais”, acrescentou Pittman.

Mais de 200 pessoas já foram acusadas por seus papeis no ataque ao Capitólio, inclusive algumas com laços com grupos de extrema-direita, como Oath Keepers e Proud Boys.

(Por Kanishka Singh em Bengaluru)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1O11F-VIEWIMAGE