Polícia caça envolvidos em transporte clandestino de passageiros que deixou 19 mortos em acidente

A Polícia Civil do Paraná está nas ruas, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (25), para cumprir 15 mandados de busca e apreensão contra organização criminosa envolvida no transporte clandestino de passageiros. Os envolvidos estão relacionados ao tombamento de um ônibus de turismo, ocorrido em janeiro na BR-376, em Guaratuba, Litoral do Paraná, onde 19 pessoas morreram.

Os mandados estão sendo cumpridos simultaneamente nas cidades de Belém e Ananindeua, no estado do Pará, e em Florianópolis e São José, em Santa Catarina. A ação contou com o apoio das polícias civis dos dois estados.

O laudo pericial, elaborado pela Polícia Científica do Paraná, apontou que o motorista do veículo estava dirigindo em alta velocidade e que o freio estava funcionando parcialmente no momento do acidente. Além disso, a falta de manutenção adequada do veículo foi uma das causas determinantes para o tombamento.

“Ao investigar o caso, tivemos constatações relevantes: primeiro, que o motorista do ônibus dirigia de forma irresponsável e agressiva. Além disso, verificamos através de perícia, que o veículo automotor apresentava péssimas condições de uso e com o sistema de freio prejudicado. Dos seis tambores de freio, apenas um funcionava de forma adequada”, disse o delegado Leonardo Carneiro da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran).

Conforme apurado, as informações constantes na licença de viagem, feita pela empresa responsável pelo transporte e emitida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), não correspondem à realidade. Com base nos fatos, a PCPR constatou que não se tratou de uma viagem sob a modalidade de fretamento turístico ou fretamento eventual, e sim de transporte clandestino de passageiros.

As empresas são responsáveis por se associar e agir de forma reiterada, prestando serviço clandestino aos passageiros.

“No decorrer das investigações, a Polícia Civil do Paraná identificou ainda a existência de uma organização criminosa, que realiza o transporte clandestino de passageiros. Essas empresas se utilizavam de uma liminar para realizar um esquema fraudulento, impossibilitando identificar os usuários e qual a pessoa responsável pelas viagens.

Crime

Na ocasião, o veículo, que transportava 54 pessoas, colidiu em uma mureta de contenção, na BR-376, tombou e caiu na ponte do Rio da Santa. Dezenove passageiros morreram e os outros ficaram feridos.

A viagem estava sendo feita entre os estados do Pará e Santa Catarina. A maioria dos passageiros buscava oportunidades de emprego no Sul do país.

Com informações da Polícia Civil