Professora é agredida por motorista de aplicativo após informar que destino estava errado no app; vídeo

Uma professora foi agredida por um motorista de aplicativo na tarde de quarta-feira (20) durante uma corrida nas proximidades de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. 

Dayane Padilha, de 33 anos, foi xingada pelo motorista e arrancada para fora do carro com puxões de cabelo. A professora estava a caminho de uma aldeia indígena, no Território Indígena Estadual Metroponitano, para atividades do Abril Indígena. 

Dayane é descendente de índios e está sempre em contato com os companheiros do território porque busca o resgate da cultura dos povos originários. Durante a viagem com o carro de aplicativo, ela foi chamada de “Pé de barro” pelo motorista, como mostra o vídeo: 

De acordo com a professora, o endereço indicado no GPS do aplicativo não correspondia ao destino correto, então o motorista exigiu que a professora pagasse mais R$15,00 para que fosse levada ao endereço certo, o que a professora se recusou a fazer. O motorista então começou a retornar para o ponto onde ela teria embarcado, um mercado em Piraquara. Foi durante este trajeto que a professora começou a gravar o vídeo. 

Dayane afirma ter sido deixada no meio da rua, com as mãos e joelhos ralados e a cabeça vermelha e inchada por conta dos puxões de cabelo que levou do motorista. 

A professora registrou um boletim de ocorrência contra o motorista na Delegacia da Mulher.