Rapaz tenta reagir a assalto e é executado com 15 tiros

A Polícia Civil de Ponta Grossa atua desde a noite de sexta-feira (2) para tentar esclarecer um homicídio registrado no Jardim Los Angeles. Um jovem de 19 anos foi morto com pelo menos 15 tiros na rua Salvador Bueno e a principal suspeita é de que ele tenha reagido a uma tentativa de assalto.

Conforme foi apurado no local pela equipe da Rede Massa, a vítima estava com uma motocicleta e foi alvo de uma tentativa de roubo. Logo após o crime, ele e seu primo teriam ido atrás dos assaltantes – um dos rapazes estaria portando um revólver. Eles conseguiram encontrar os ladrões no final da rua Salvador Bueno de Cristo e houve troca de tiros.

Os bandidos conseguiram fugir por um matagal de um terreno baldio e ainda não foram identificados pelas autoridades. Emerson Faria Braniak, de 19 anos, foi atingido por pelo menos 15 tiros por todo o corpo, incluindo na cabeça. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local do crime. Perto do corpo foram encontrados pelo menos 18 cápsulas de munição calibre .380 e 9mm.

A Polícia Militar e o Pelotão de Choque também estiveram no local para controlar a situação e isolar a cena. Foram realizadas várias buscas pelos assassinos, mas ninguém foi encontrado até a publicação desta matéria. O corpo do rapaz foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa. A mãe do rapaz também conversou com a equipe da Rede Massa, disse que o filho tinha acabado de conseguir emprego numa indústria da cidade e nunca teve passagens na polícia.

Primo da vítima preso pela GM

A Guarda Municipal também foi acionada para acompanhar o caso e para auxiliar na contenção dos moradores da região. Segundo a GM, havia pelo menos 80 pessoas que tentavam se aproximar da cena do crime. Entre elas, os guardas perceberam que havia um rapaz com um revólver na cintura. Quando tentaram abordá-lo, o jovem tentou fugir e vários populares tentaram impedir o trabalho da GM.

Apesar disso, o rapaz foi capturado logo em seguida e portava um revólver calibre 32 com duas munições. Ele garantiu não ter nenhuma relação com o assassinato, mas não disse aos guardas o porquê de estar armado. Fontes extraoficiais indicam que esse rapaz seria o primo de Emerson, que o teria acompanhado na caça aos assaltantes. Ele foi conduzido à 13ª Subdivisão Policial (SDP) para prestar depoimento e responderá por porte ilegal de arma de fogo.