Receita da Fórmula 1 recua US$877 milhões em 2020 por pandemia

LONDRES (Reuters) – A receita da Fórmula 1 sofreu um recuo de 877 milhões de dólares no ano passado, diminuindo 43% em consequência da pandemia de Covid-19, noticiou a proprietária Liberty Media nesta sexta-feira.

.

O rendimento foi de 1,145 bilhão de dólares, menos do que os 2,022 bilhões anteriores, em um ano que contou com 17 corridas, a maioria sem espectadores, e no qual eventos destacados, como Mônaco e Cingapura, foram cancelados.

O ano anterior teve 21 provas. Para 2020, 22 haviam sido planejadas, e em 2021, 23 estão no programa.

O esporte relatou uma perda operacional anual de 386 milhões de dólares, sendo que o lucro anterior foi de 17 milhões, e as dez equipes compartilharam 711 milhões de dólares – 301 milhões de dólares a menos do que no ano anterior e uma queda de 30%.

As principais fontes de renda da F1 são taxas de promoção de corridas, acordos de transmissão, anúncios e patrocínios.

“Devido ao número reduzido de corridas, à duração da temporada e à quase ausência de público, não surpreendeu que a renda primária tenha declinado”, disse o novo executivo-chefe, Stefano Domenicali.

Mas ele disse que seu antecessor, Chase Carey, deixou fundamentos robustos para um crescimento futuro e que o esporte está bem posicionado com os parceiros comerciais.

A próxima temporada começa no Barein em 28 de março.

(Por Alan Baldwin)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1P1HS-VIEWIMAGE

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia
Alisha
Alorino
Antônio Carlos
Bianca Granado
Camila Santos
Edvaldo Corrêa
Elaine Damasceno
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
Giselle Suardi
Guilherme C Carneiro
Mateus Afonso
Mauro Mueller
Oseias Gomes
Papai em Dobro
Tais Targa