Encurtamento de músculos pode afetar até 80% dos adultos jovens

Sedentarismo e má postura são as principais causas de encurtamento muscular

Embora a população jovem pareça mais saudável e ativa, o encurtamento de músculos tem afetado cada vez mais adultos jovens.

encurtamento-de-musculos-adultos
Foto: Divulgação/Adobe Stock

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) realizou um estudo que apontou que o encurtamento dos músculos isquiotibiais, responsáveis pela flexão de joelhos e extensão do quadril, estava presente em 91% dos homens e 82% das mulheres.

Segundo a fisioterapeuta Walkíria Brunetti, especialista em Saúde Postural e Dores Crônicas, os isquiotibiais são um grupo muscular que fica na parte de trás das coxas. “Esses músculos são essenciais para o deslocamento do corpo para frente. Além disso, são responsáveis pelos movimentos de extensão do quadril e, principalmente, de flexão dos joelhos”.

“A má postura pode alterar a estrutura dos músculos, principalmente quando os vícios posturais não são corrigidos ao longo da infância e adolescência. O resultado é a perda ou redução da flexibilidade e da mobilidade. A pessoa nessas condições terá músculos encurtados e enfraquecidos e isto pode acarretar dores e dificuldade de realizar movimentos que exigem amplitude de movimento”, explica a especialista.

Má postura é a vilã do encurtamento de músculos

Hoje, a principal causa de encurtamento dos músculos isquiotibiais são os vícios de postura adotados pelas pessoas que passam a maior parte do tempo sentadas.

Outro fator de risco é o sedentarismo, algo cada vez mais prevalente em todas as faixas etárias, inclusive em crianças e jovens adultos.

Walkíria aponta que o encurtamento muscular ocorre quando o corpo passa a ignorar os músculos que não são usados. “Ou seja, o corpo se adapta nas posturas que exigem menos esforço e menos amplitude de movimento. Um bom exemplo de encurtamento nos isquiotibiais é quando a pessoa precisa abaixar para pegar algo no chão ou para calçar um sapato e sente dificuldade”.

“Na prática da clínica é comum percebermos que este tipo de encurtamento está associado a dores na região lombar, problemas e dores nos joelhos e alterações na marcha, já que a extensão do quadril fica comprometida e dores nas pernas. Nos casos mais avançados pode ocorrer diferença no comprimento de uma perna para a outra”, aponta a fisioterapeuta.

Homens sofrem mais com encurtamento muscular

Os homens costumam ter mais problemas de encurtamento muscular que as mulheres, uma vez que biologicamente são menos flexíveis. Neste estudo da Unesp, os participantes foram divididos entre sedentários e praticantes de atividades físicas. Entre os sedentários, 91% dos homens e 82% das mulheres apresentaram encurtamento dos isquiotibiais.

“O que nos chama a atenção é que o encurtamento muscular é cada vez mais frequente entre os jovens. Uma das explicações é que boa parte dessa população deixa de praticar esportes ao ingressar na faculdade, por exemplo. Além disso, passam a maior parte do tempo sentados, seja na universidade ou em outros momentos do dia a dia, como trabalho e estudos em casa”, diz Walkíria.

Como prevenir o encurtamento de músculos

A solução para prevenir o encurtamento muscular depende de uma série de fatores. “Quem passa muitas horas sentado, seja na escola ou no trabalho, tem um risco bastante aumentado para desenvolver encurtamento muscular. Este grupo precisa adotar hábitos preventivos, como a realização de alongamentos ao longo do dia. A prática de atividades físicas também é importante”, recomenda a especialista.

Por outro lado, quando já existe um quadro instalado de encurtamento muscular, o tratamento envolve recursos da fisioterapia. “A primeira etapa é corrigir a postura e isso pode ser feito por meio da Reeducação Postural Global (RPG), além de técnicas de alongamento e fortalecimento das cadeias musculares. Podemos usar ainda o Pilates associado a treinos de força focado nos membros inferiores”.

“Todas estas técnicas ajudam o paciente a aumentar sua consciência corporal. A partir da percepção da má postura, a pessoa no dia a dia tende a corrigir sua posição para prevenir os encurtamentos. Depois do término da fisioterapia é importante seguir com alguma atividade física e alongamentos, que podem ser feitos em casa ou no trabalho”, finaliza Walkíria.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia
Alisha
Alorino
Antônio Carlos
Bianca Granado
Camila Santos
Edvaldo Corrêa
Elaine Damasceno
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
Giselle Suardi
Guilherme C Carneiro
Mateus Afonso
Mauro Mueller
Oseias Gomes
Papai em Dobro
Tais Targa