Sem salários, trabalhadores cruzam os braços e PG amanhece sem ônibus

O Sintropas, sindicato que representa motoristas e cobradores do transporte coletivo de Ponta Grossa, deflagrou greve geral na categoria na manhã desta segunda-feira (5). Desde às 3 horas, a diretoria está em frente à garagem para bloquear a saída dos ônibus da Viação dos Campos Gerais (VCG), concessionária do transporte coletivo na cidade. O movimento abrange 100% da frota, de acordo com o sindicato.

A entidade sindical orientou os trabalhadores a não se deslocarem até a empresa para evitar aglomeração. A categoria reivindica a segunda parcela salarial de fevereiro, que deveria ter sido paga há 10 dias. Ainda conforme a nota do Sintropas, os colaboradores deverão receber parte do salário de março, mas a empresa já teria sinalizado que não tem dinheiro para arcar com os compromissos.

De acordo com o presidente do Sintropas, Luiz Carlos Oliveira, “os trabalhadores do transporte coletivo estão na linha de frente, enfrentando Covid-19, e ainda sem receber. Enquanto não pagar, a greve continua”, garante.

O indicativo de greve estava aprovado desde os últimos dias de janeiro como uma forma de cobrar a segunda parcela dos salários de dezembro. À época, a empresa já argumentava não ter recursos para bancar o salário dos funcionários devido à queda no número de passageiros devido à pandemia de covid-19 e às medidas restritivas determinadas pela Prefeitura de Ponta Grossa.

Desde então, os trabalhadores já fizeram outros protestos cobrando novos atrasos no pagamento. Como agravante para a crise na empresa, o transporte coletivo ficou suspenso por quase 20 dias por determinação do governo municipal, também como forma de reduzir a propagação do coronavírus na cidade. Até a publicação desta matéria, a VCG não tinha se manifestado sobre a paralisação dos trabalhadores.