Seu Jorge presta depoimento sobre ofensas racistas sofridas em Porto Alegre

O cantor Seu Jorge prestou depoimento à polícia gaúcha no inquérito que investiga as 

O teor do depoimento, feito por videoconferência, foi divulgado nesta quarta-feira pela delegacia que chefia o inquérito. 

Seu Jorge disse que quem denunciou os gritos de “macaco” foram pessoas da plateia, e que só soube do fato após a repercussão.

O cantor também afirmou que não ouviu as ofensas relatadas pelas testemunhas, como “macaco, negro e vagabundo”, porque estava com fones de ouvido.

“Disse ainda que geralmente ele faz o ‘bis’, mas em virtude da enorme quantidade de vaias ele decidiu ir embora porque ele entendeu que não teria clima para fazer”, afirma a delegada Andrea Mattos.

O show, na noite de 14 de outubro, foi em um clube tradicional de Porto Alegre. Nove pessoas já foram ouvidas pela polícia até o momento, entre elas, parte do público, funcionários do clube e produtores do evento. Ainda faltam os depoimentos de integrantes da banda e da equipe do músico. O inquérito deve ser concluído em 15 dias.

Para a polícia, as ofensas não foram generalizadas, nem organizadas, e será difícil identificar a autoria com as imagens disponíveis, que estão voltadas para o palco e não para a plateia.

“O que a gente tá investigando aqui é a questão racial, e nada justifica que uma pessoa seja menosprezada por conta da sua cor em virtude de qualquer tipo de manifestação”, diz a delegada.

Informações SBT News