Sheik dos Bitcoins é preso em operação da PF em Curitiba

O empresário Francisley Valdevino da Silva, conhecido como Sheik dos Bitcoins, foi preso na manhã desta quinta-feira (03), pela Polícia Federal, em Curitiba. Ele é investigado por liderar um esquema de fraudes com criptomoedas que movimentou quase R$ 4 bilhões desde 2018.

A PF apurou que, após a deflagração da Operação Poyais, quando foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão, Francisley descumpriu medidas cautelares impostas pela Justiça Federal. Dentre as restrições, ele não poderia continuar a administrar suas empresas.

Mesmo com essas restrições, o Sheik dos Bitcoins continuou a realizar encontros frequentes em sua casa, em Curitiba, com funcionários de suas empresas. Um dos empregados que se reunia com Francisley era o responsável pelo designer gráfico das plataformas virtuais para prática das fraudes, o que segundo a Polícia Federal demonstrou que a organização criminosa continuava ativa.

Uma das vítimas do empresário foi Sasha Meneghel, filha da Xuxa, e seu marido João Figueiredo. A modelo teria conhecido o Sheik dos Bitcoins em uma igreja. O casal teve um prejuízo de mais de R$ 1 milhão.

Operação Poyais

A Polícia Federal deflagrou no dia 6 de outubro a Operação Poyais, com o objetivo de aprofundar as investigações envolvendo uma organização criminosa suspeita de praticar fraudes bilionárias no setor de criptomoedas. Foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão em duas cidades do Paraná, duas de São Paulo, uma do Rio de Janeiro e uma de Santa Catarina.

De acordo com a PF, as investigações começaram em março de 2022, quando a Interpol acionou a embaixada dos Estados Unidos em Brasília para obter informações e solicitar passiva de cooperação policial. A denúncia envolvia um grupo criminoso que cometia crimes de estelionato no Brasil e no exterior desde 2016, por meio de uma pirâmide de investimentos em criptomoedas.

Informações SBT News