Veto a russos em Wimbledon é um erro, diz Djokovic

A decisão de Wimbledon de banir jogadores russos e bielorrussos do torneio deste ano após a invasão da Ucrânia pela Rússia foi errada e faltou com respeito, disse o tenista número um do mundo, Novak Djokovic, na segunda-feira.

O All England Lawn Tennis Club (AELTC) tomou a decisão após a invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro, que Moscou chama de “operação militar especial”. Belarus tem sido uma área-chave para a invasão.

Como resultado, Wimbledon teve os pontos para o ranking retirados pela ATP e pela WTA por sua decisão de excluir tenistas dos dois países.

Os rankings determinam a capacidade de um jogador de entrar nos eventos e as cabeças de chave.

“Em um nível pessoal, é claro, sem ter a chance de jogar e defender meus 4.000 pontos da Austrália e Wimbledon, vou perdê-los este ano”, disse Djokovic.

“Em um nível pessoal, individual, estou muito afetado por isso”, afirmou o sérvio após sua vitória na primeira rodada no Aberto da França.

Djokovic, que ficou de fora do Aberto da Austrália deste ano devido à falta de vacinação contra a Covid-19 e subsequente deportação, disse que a resposta da ATP e da WTA à decisão de Wimbledon foi uma reação a um erro.

“Acho que (o veto de Wimbledon) foi uma decisão errada. Não apoio isso de forma alguma. Mas neste momento é um assunto delicado e qualquer que seja a decisão criará muitos conflitos”, afirmou ele.

“Infelizmente, nunca houve uma comunicação forte vinda de Wimbledon. É por isso que acho errado.”