Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Bloqueios continuam em batalhões da PM no ES, mas número de mulheres é menor

Apesar da liminar da Justiça que obriga as mulheres de policiais militares a liberar os portões de acesso aos batalhões no Espírito Santo, os bloqueios permanecem no Estado. O número de mulheres em frente aos locais é pequeno nesta quarta-feira, 15, mas as tendas e barracas seguem montadas e a promessa é de que a manifestação continue. Nesta quarta-feira, a paralisação chegou ao 12º dia.

Desde a manhã, a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo circulou por quatro pontos de bloqueio em Vitória. Em todos eles havia a presença de mulheres e outros familiares de PMs. Em todos, também, elas se recusaram a dar declarações. Algumas esconderam o rosto com toalhas ou permaneceram sentadas de costas para a rua quando perceberam a presença de fotógrafos e cinegrafistas.

A mudança de postura ocorre menos de um dia após a Justiça Estadual conceder liminar obrigando as mulheres e deixarem os locais e tirarem todos os bloqueios, sob pena de multa diária de R$ 10 mil e responder por desobediência de ordem judicial. Dez delas tiveram seus nomes citados nominalmente.

Sob condição de anonimato, uma das presentes à manifestação nesta quarta afirmou que nenhum oficial de Justiça apareceu exigindo a liberação do bloqueio. Ela também disse que o grupo ficou sabendo da decisão pela imprensa.

Outra reclamou da decisão. "A gente está protestando porque não conseguimos pagar as contas, e querem cobrar R$ 10 mil por dia? Vamos tirar dinheiro de onde?", questionou.

Enquanto os bloqueios continuam, os acessos de policiais fardados para dentro dos batalhões só é feito por via aérea. Pela manhã, um helicóptero da PM aterrissou no heliporto que fica dentro do Batalhão de Missões Especiais.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo