Bandidos usam Discord para crimes contra adolescentes

Com a colaboração de Estadão Conteúdo

Por Marcio Dolzan

discord-crimes-adolescentes
Foto: Divulgação/Adobe Stock

São Paulo, 26 (AE) – Investigações das polícias Federal e Civil apontam que a plataforma Discord – que permite conversas e transmissões de vídeos online, e que é popular para jogos e podcasts – está sendo utilizada cada vez mais para a prática de crimes contra adolescentes.

Criminosos têm utilizado o aplicativo para chantagear garotas, cometer abusos sexuais, agressões e mutilações, como relatado pelo programa Fantástico, da TV Globo, no domingo (25).

Um dos acusados de usar o Discord para a prática de crimes contra adolescentes foi preso em abril pela Polícia Federal. Há denúncias de pelo menos dez vítimas do agressor. Algumas delas tiveram o apelido do autor gravado no corpo com uma lâmina, segundo a reportagem.

Investigações da Polícia Civil e do Ministério Público de São Paulo (MPSP) também descobriram em computadores de acusados diversas pastas com fotos e vídeos de garotas que foram violadas e chantageadas. Uma das pastas estava nomeada como “backup das vagabundas estupráveis”.

Menina foi abusada depois de conhecer homem pelo Discord

Entre as vítimas está uma garota de apenas 13 anos, que fugiu de casa em Joinville (SC) no ano passado para se encontrar com um homem que conheceu pelo Discord.

Ela foi parar em uma casa em São Paulo com outros adolescentes. Lá, foi obrigada a se drogar e foi abusada por diferentes agressores durante duas semanas.

“No início só foram conversando, falando que era amigo dela, que ela poderia ir para lá, que ia ser muito legal, que não teria nenhum adulto enchendo o saco. Ele mandou um aplicativo de carona daqui para ela ir para lá. E no primeiro dia já, ele forçou relações com ela. Depois disso, foram para outra casa. Chegando lá, eles doparam ela e a forçaram novamente a ter relações. E bateram nela, cortaram ela”, contou uma irmã da vítima ao Fantástico.

Discord fala em ‘tolerância zero’ a atividades prejudiciais à sociedade

Em nota ao jornal O Estado de S. Paulo, assinada pelo chefe de segurança do Discord, Clint Smith, o Discord declarou que, “no Brasil, 99,9% das comunidades do Discord nunca violaram nossas políticas” e que há “uma política de tolerância zero para atividades em nossa plataforma que sejam potencialmente prejudiciais à sociedade”.

A plataforma alega que removeu “98% das comunidades que identificamos nos últimos seis meses por mostrar material com abuso de crianças no Brasil”. “Atualmente, mais de 15% de nossa equipe está focada no tema de segurança – isso significa que temos mais funcionários trabalhando em segurança do que em marketing”.

Smith considerou ainda que a plataforma tem buscado parcerias com entidades ligadas à segurança infantil no País para coibir abusos.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia
Alisha
Alorino
Antônio Carlos
Bianca Granado
Camila Santos
Edvaldo Corrêa
Elaine Damasceno
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
Giselle Suardi
Guilherme C Carneiro
Mateus Afonso
Mauro Mueller
Oseias Gomes
Papai em Dobro
Tais Targa