Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Dupla de elefantas volta à natureza e inaugura 1º santuário na América Latina

Duas elefantas que antes eram atração de circos voltaram à natureza nesta quinta-feira, 13, em Mato Grosso. Elas inauguraram o primeiro santuário de elefantes da América Latina, localizado na Chapada dos Guimarães, a 65 quilômetros de Cuiabá.

Maia e Guida chegaram ao santuário na terça-feira, 11, e passaram dois dias no Centro de Tratamento Médico. Nesta quinta, elas foram liberadas da área limitada e brincaram com a terra e tomaram banho com as trombas.

As duas elefantas foram confiscadas de um circo na Bahia e viviam há seis anos em Paraguaçu, no sul de Minas Gerais. Maia, que tem cerca de 44 anos, e Guida, de 42 anos, terão cuidado de veterinários. "Sociedades ao redor do mundo estão começando a perceber a traumas que causaram esses animais", disse Scott Blais, um americano que já havia colaborado com uma iniciativa parecida nos Estados Unidos e ajudou a fundar o santuário.

Blais e sua esposa estão há dois anos no Brasil, devido à grande quantidade de terra e a necessidade de encontrar um lugar para elefantes na América Latina. Há uma estimativa de que mais de 50 elefantes que vivem cativeiros na América do Sul possam habitar o local.

A fazenda, de 1,1 mil hectares, foi adquirida por meio de doações de organizações internacionais especificamente para abrigar elefantes. O espaço passa a receber animais resgatados em situação de risco e oferecerá os cuidados necessários para que possam se recuperar física e emocionalmente da vida em cativeiro. No momento, as elefantas terão acesso a uma área de meio hectare, enquanto não é estruturada a segundo parte.

No santuário, haverá câmeras que permitirão a cientistas e curiosos observar os animais sem importuná-los. Especialistas dizem que os elefantes não sobreviveriam se soltados em sua terra-natal, no caso na Ásia, já que passaram a vida inteira em cativeiro. Para resolver o problema, santuários já foram criados nos Estados Unidos, na Tailândia, na Malásia e, agora, no Brasil. Com informações da Associated Press

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo