Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Homem invade prédio e estupra vítima em apartamento no centro de SP


Um homem de 27 anos foi preso na noite desta quinta-feira, 11, após colocar a faca no pescoço de uma moradora de um prédio da Rua São Francisco, na região central, entrar no edifício e estuprá-la e um dos apartamentos. De acordo com a Polícia Civil, Wellington Carlos Correa dos Santos, de 27 anos, rendeu a vítima que tem 50 anos na calçada do edifício.

A Polícia Militar foi acionada e ao chegar no local, que fica a menos de 500 metros da Secretaria de Estado da Segurança Pública, começou a negociar com o criminoso. De acordo com o boletim de ocorrência, Santos invadiu o prédio após o porteiro liberar o portão para duas moradoras. Uma delas, uma adolescente de 13 anos, foi ameaçada de estupro pelo suspeito.

Ela e a outra moradora conseguiram fugir, mas a mulher permanece refém do criminoso. Ainda sob a ameaça da faca no pescoço, ela foi obrigada a entrar em um dos elevadores junto com o suspeito. Eles subiram até o 19º andar e o suspeito bateu na porta de um dos apartamentos.

O morador, um enfermeiro de 46 anos, foi esfaqueado na mão, mas conseguiu correr. O apartamento dele foi usado por Santos para estuprar a vítima. Segundo a polícia, ele manteve "conjunção carnal" e sexo oral com a mulher.

O suspeito saiu do apartamento e começou a descer as escadas. No 12º andar, uma equipe da PM com pistolas em punho, obstruiu a passagem dele. Houve uma nova negociação. Costa largou a faca e se entregou.

A mulher foi encaminhada para o Hospital Pérola Byngton, também no centro. A adolescente de 13 anos ficou em estado de choque e não teve condições de dar o depoimento.

'Drogado'

Um funcionário do prédio que não quis se identificar disse que Costa estava "drogado e alucinado" na hora em que entrou no prédio. "Ele gritava com louco, estava esbaforido. Quando ameaçou abusar da menina ela começou a chorar e entrou em desespero", conta.

Segundo ele, "foi tudo muito rápido" e mal deu para perceber que o suspeito já fazia uma refém do lado de fora do prédio. "Eles não apareceram na câmera de vigilância. De repente estava aqui dentro", contou.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo