Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Curitiba, PR
Clima
19.5ºC
Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Ministro diz que Justiça vai atuar se atos políticos forem de competência federal

Ministro afirmou que já transmitiu as orientações cabíveis à PF e PRF.

Redação

Redação

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, afirmou que a pasta está mobilizada para atuar diante de atos políticos assim que se caracterizar competência federal. “A atribuição constitucional, em um primeiro momento, é das esferas policiais locais”, disse, em seu perfil no Twitter.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Na postagem, Flávio Dino citou o registro de atos políticos “inclusive com absurdas agressões” e pediu que pessoas agredidas procurem delegacias para o registro das ocorrências, se possível, com imagens. “Reiteramos que liberdade de expressão não abrange agressões físicas, sabotagens violentas, golpismo político”.

“Depois do registro da ocorrência policial, sugiro o envio ao Ministério Público que, certamente, vai atuar contra arruaceiros nas suas cidades“, disse Dino. “Sobre crimes federais, estamos tomando todas as providências, inclusive na manhã deste sábado”, completou.

Ainda por meio do Twitter, o ministro informou que, desde cedo, está em contato com os diretores-gerais da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal para definir providências sobre o que chamou de “atos antidemocráticos que podem configurar crimes federais”. “Pequenos grupos extremistas não vão mandar no Brasil”, concluiu.

Em uma nova postagem, o ministro escreveu que “sobre uma suposta ‘guerra’ que impatriotas dizem querer fazer em Brasília, já transmiti as orientações cabíveis à PF e PRF. E conversei com o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha e o ministro da Defesa, José Múcio”.

Grupo não aceita resultado das eleições

Vídeos publicados nas redes sociais mostram uma grande mobilização de pessoas interrompendo o trânsito na via de acesso ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Nas imagens, as pessoas se identificam como parte de grupos que não aceitam o resultado das eleições presidenciais de outubro passado e pedem a saída do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Com informações da Agência Brasil

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Ative as notificações e fique por dentro das notícias

Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia