Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

No interior de SP, mais 2 escolas são ocupadas contra reforma do ensino

Mais duas escolas foram ocupadas na noite de terça-feira, 25, no interior de São Paulo, em protesto contra a reforma do ensino médio e a proposta de emenda constitucional que estabelece um teto para os gastos públicos. Em Sertãozinho, cerca de 40 estudantes ocuparam o câmpus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP). Os porta-vozes da ocupação não divulgaram o número de participantes.

É a segunda escola do IFSP em poder dos alunos. Desde a segunda-feira, 24, um grupo ocupa a unidade de Avaré, também no interior. Os estudantes fariam uma assembleia na noite desta quarta-feira para decidir se mantêm a ocupação. Nas duas unidades as aulas foram suspensas.

Em Campinas, cerca de 50 estudantes ocuparam o prédio da Escola Estadual Hugo Penteado Teixeira, também para protestar contra as medidas do governo federal. Na cidade, é a quarta instituição de ensino em poder dos alunos. Das três anteriores, duas - a Escola Estadual Ruy Rodrigues e a Professor Carlos Alberto Galhiego - continuam ocupadas. A Escola Newton Pimenta Neves foi desocupada após intervenção da Polícia Militar.

Em Piracicaba, os alunos que ocupavam a Escola Estadual Pedro Moraes Cavalcante, deixaram o prédio na noite de terça-feira, depois que a PM foi ao local e avisou que faria a desocupação forçada da unidade. As aulas foram retomadas nesta quarta-feira.

No caso das escolas estaduais de Campinas, a Diretoria Regional de Ensino informou que os protestos não têm relação com o Estado e foram registrados boletins de ocorrência. Já o Instituto Federal de São Paulo informou que está negociando com as coordenações dos movimentos uma solução para o impasse.

Passeata

Cerca de 150 alunos e professores da rede estadual de ensino fizeram uma passeata, nesta quarta-feira, 26, em Sorocaba, contra as mudanças propostas do governo do presidente Michel Temer. Com faixas e cartazes, eles se concentraram na zona norte e caminharam cerca de seis quilômetros até a região central. Ruas e avenidas ficaram bloqueadas durante a passagem dos manifestantes. O grupo se dispersou na Praça da Bandeira.