Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Combate à dengue é reforçado em Paranaguá

(Foto: Fernanda Carvalho / Fotos Públicas) - Combate à dengue é reforçado em Paranaguá
(Foto: Fernanda Carvalho / Fotos Públicas)

Para evitar uma nova epidemia de dengue, como a registrada no ano passado, as ações de combate e controle ao mosquito Aedes aegypti foram reforçadas em Paranaguá, no litoral do Estado. Entre agosto de 2015 e julho de 2016, o município registrou 16 mil casos do problema e 29 mortes.

Estabelecimentos comerciais, marinas, clubes e prédios públicos - que são considerados pontos estratégicos para a proliferação do mosquito, que transmite dengue, zika e chikungunya - estão passando por inspeções para eliminação de criadouros.

Caso sejam encontradas irregularidades, os proprietários são notificados e têm o prazo de 48 horas para solucionar os problemas. “O momento é de alerta e precisamos que a população tenha consciência disso. Uma simples tampinha de garrafa pode se tornar uma ameaça”, destaca o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.

O secretário reforça que os cuidados no combate à dengue devem se tornar uma rotina, em casa ou no trabalho. “Cada um deve fazer a sua parte. Entramos em um período crítico, em que o clima favorece a reprodução do mosquito e por isso é essencial que a sociedade saiba de seu papel”.

A secretaria realiza ainda um estudo sobre o comportamento do Aedes aegypti em Paranaguá. Os pesquisadores querem identificar quais são os tipos de vírus mais frequentes nos mosquitos que circulam na cidade. O registro deve verificar ainda como está a circulação dos vírus da zika e chikungunya no município.

“O trabalho consiste na captura do mosquito adulto e depois na detecção do vírus presente no vetor. Isso permite que possamos acompanhar de perto o que está circulando na cidade, mesmo sem a ocorrência de muitos casos”, explicou o coordenador da pesquisa, professor Mario Antônio Navarro da Silva, do Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Paraná.

Como prevenir a dengue

  • Evitar o acúmulo de lixo e entulhos;
  • Deixar sacolas e recipientes com lixo fechados;
  • Manter as caixas d’água, galões, tonéis ou tambores sempre vedados;
  • Remover a sujeira das calhas e ralos;
  • Não deixar pneus com água e em lugares descobertos;
  • Deixar garrafas ou baldes com a boca para baixo;
  • Verificar bandejas de ar-condicionado e geladeiras mantendo-as limpas e sem água;
  • Colocar areia até a borda nos pratos de vasos de flores e plantas;
  • Manter vasos sanitários sem uso fechados;
  • Tratar a água de piscinas e fontes uma vez por semana;
  • Esticar lonas para não formar poças;
  • Lavar os recipientes de água dos animais.

Colaboração Agência de Notícias do Paraná