Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Como evitar que o estado emocional desencadeie problemas de saúde

Muito se ouve falar sobre como o estado emocional pode desencadear sérios prejuízos à saúde. Úlceras, hipertensão, alergias, asma, problemas dentários e cardíacos são alguns exemplos de disfunções que podem ter como causa os sentimentos e as emoções. Também conhecidas como doenças psicossomáticas, elas afetam 20% da população mundial, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e tem como principais vítimas as mulheres. O que muitos não sabem é que hábitos simples podem evitar que sensações como a raiva, a ansiedade, o nervosismo e estresse causem danos ainda mais graves à saúde física e mental.

Conforme explica a psicóloga e consultora da Faculdade ILAPEO, Gladir Sanchotene, além de causar doenças, o estado emocional negativo pode agravar problemas já existentes. Segundo ela, para evitar que isso ocorra, é preciso ficar atento a alguns acontecimentos prejudiciais no dia a dia, como por exemplo, o excesso de pressão no trabalho, as relações pessoais e o desequilíbrio emocional em determinadas situações. “São necessárias pequenas atitudes e mudanças para saber vivenciar as emoções de formas diferentes. Isso não deixará a pessoa imune a todas as doenças, mas fortalecerá muito seu organismo”, afirma.

Por isso, o ideal é fazer o caminho contrário: ter a mente fortalecida para manter a saúde. “Se estamos bem, ajudamos a liberar substâncias como serotonina, que nos dão a sensação de prazer e bem estar. Isso faz com que o corpo consiga se adaptar melhor às situações adversas, não consumindo a energia que pode ser canalizada  para combater doenças. Ao mesmo tempo em que a mente tem a capacidade de trazer um adoecimento em si, ela pode trazer uma melhora muito significativa no estado clínico de um paciente”, ressalta.

Além disso, a partir da identificação de uma doença causada por algum estado emocional, o ideal é que se faça o acompanhamento completo com o médico especialista e também com psicólogo, “para identificar e tratar o dano físico e também suas causas, para que o problema não volte a ocorrer”, explica a psicóloga.

Mas afinal, como evitar que o estado emocional desencadeie problemas de saúde? 

Veja cinco dicas para melhorar seu dia a dia

  1. Não tenha medo de se expor, reconheça que algo está lhe incomodando. Isso fará com que você não guarde para si sentimentos ruins;
  2. Busque detectar o que de fato lhe faz mal e esteja disposto a mudar algumas atitudes do dia a dia. Você pode buscar ajuda profissional, caso não consiga detectar sozinho.
  3. Vá com calma. Evite fazer tudo com pressa e tente dispensar a ansiedade dos seus dias. Perceba que é possível mudar hábitos sem prejudicar seu desempenho;
  4. Busque alternativas que possam ajudar a superar o turbilhão de sentimentos diários: amigos, esportes, terapia, entre outros;
  5. Identifique relações que possam estar lhe fazendo mal e se aproxime de pessoas que agreguem algo positivo e que queiram o seu bem.

Quando a emoção faz o corpo ficar doente

Para fazer o alerta sobre como identificar os problemas emocionais e de que forma isso pode prejudicar saúde física, a Faculdade ILAPEO, referência em saúde e bem estar, promove no dia 22 de outubro uma palestra gratuita e aberta ao público “Quando a emoção faz o corpo ficar doente”. O evento será ministrado pela psicóloga e consultora da Faculdade ILAPEO, Gladir Sanchotene. A palestra faz parte do Projeto de Extensão em Saúde Integrada promovido pela instituição que visa orientar a população sobre cuidados com a saúde. “Vamos falar sobre como alcançar equilíbrio emocional, através de  atitudes e mudanças no estilo de vida altamente possíveis de serem adotadas”, finaliza a especialista.

Serviço

Palestra: Quando a emoção faz o corpo ficar doente

Data: 22 de outubro (sábado).

Horário: 10h

Local: Faculdade ILAPEO. Rua Jacarezinho, 656, Mercês – Curitiba.

Inscrições: A entrada é gratuita e as inscrições são limitadas

Informações: (41) 3595-6000 ou www.ilapeo.com.br