Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Foz terá ação de combate ao câncer de pele neste sábado

Divulgação - Foz terá ação de combate ao câncer de pele neste sábado
Divulgação

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realiza neste sábado (26) o Dia C – Dia de Combate ao Câncer de Pele. A campanha nacional será realizada em 129 postos de saúde em 25 estados, mobilizando três mil profissionais. No Paraná, haverá atendimento em oito municípios. Em Foz do Iguaçu, a ação será no Poliambulatório Nossa Senhora Aparecida, no Jardim das Flores (Porto Meira), das 9h às 15h.

De acordo com levantamento do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, referência em oncologia no município, em 2012 foram atendidos 324 pacientes com câncer de pele (150 do sexo feminino e 174 do sexo masculino). Deste total, 22 casos são de melanoma, o tipo mais grave da doença. Em 2013, foram 213 atendimentos (95 mulheres e 118 homens), com 21 casos de melanoma. "O câncer de pele tem uma incidência alta, corresponde a 30% de todos os tipos de tumores malignos", advertiu o dermatologista André Guimarães. "Quanto mais cedo for o diagnóstico, mais chances de cura", completou.

A campanha deste fim de semana marca o início do Dezembro Laranja, mês dedicado a prevenção do câncer de pele. A previsão é de que 30 mil pessoas sejam esclarecidas e conscientizadas sobre os danos que o sol, sem a devida proteção, pode causar a saúde. Desde setembro, a SBD mantém o movimento “O corpo fala – cuide da sua pele”, que alerta para os fotodanos gerados pela exposição desprotegida aos raios solares. Os fotodanos são os problemas na pele causados pelo sol menos graves que o câncer da pele. A exposição excessiva pode causar sardas, rugas, melasma, queimaduras e evoluir para o câncer da pele.

SOBRE O CÂNCER DE PELE

O câncer da pele pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegrecida, como também uma ferida que não cicatriza. A regra do ABCDE ajuda na suspeita de uma lesão maligna e sinaliza que um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia deve ser procurado.

A= lesão assimétrica

B= bordas irregulares

C= alteração de cor

D= diâmetro maior que 6 mm

E= evolução ou modificação da lesão

Outra forma de avaliar o risco da doença é através da “Calculadora de Risco para Câncer da Pele”, também disponível no site www.controleosol.com.br/calculadora

A Sociedade Brasileira de Dermatologia orienta que as pessoas se examinem com periodicidade, consultando um dermatologista em caso de suspeita. Também é importante que se examine familiares, pois muitas vezes os cânceres podem aparecer em regiões que não conseguimos ver sozinhos. Ao se expor, é importante que se use o protetor solar nas áreas expostas, mesmo em dias frios e nublados, reaplicando o produto a cada quatro horas no dia a dia e a cada duas horas nos períodos de maior exposição solar.

A SBD lembra que a melhor forma de evitar a doença é a prevenção! Vale reforçar que nem o autoexame, nem a calculadora de risco, substituem a consulta ao dermatologista da instituição.

CÂNCER DE PELE NÃO MELANOMA

É o câncer mais frequente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado precocemente. Entre os tumores de pele, o tipo não-melanoma é o de maior incidência e mais baixa mortalidade.

O câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas anteriores. Pessoas de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou com doenças cutâneas prévias são as principais vítimas.

Como a pele - maior órgão do corpo humano - é heterogênea, o câncer de pele não-melanoma pode apresentar tumores de diferentes linhagens. Os mais frequentes são o carcinoma basocelular e o carcinoma epidermoide. O carcinoma basocelular, apesar de mais incidente, é também o menos agressivo.

Estimativa de novos casos: 175.760, sendo 80.850 homens e 94.910 mulheres (2016 - INCA)

Número de mortes: 1.769, sendo 1.000  homens e 769 mulheres (2013 - SIM)

CÂNCER DE PELE MELANOMA

O melanoma cutâneo é um tipo de câncer de pele que tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele) e tem predominância em adultos brancos. Embora o câncer de pele seja o mais frequente no Brasil e corresponda a 30% de todos os tumores malignos registrados no País, o melanoma representa apenas 3% das neoplasias malignas do órgão, apesar de ser o mais grave devido à sua alta possibilidade de metástase.

O prognóstico desse tipo de câncer pode ser considerado bom, se detectado nos estádios iniciais. Nos últimos anos, houve uma grande melhora na sobrevida dos pacientes com melanoma, principalmente devido à detecção precoce do tumor.

Estimativa de novos casos: 5.670, sendo 3.000 homens e 2.670 mulheres (2016 - INCA)

Número de mortes: 1.547, sendo 903 homens e 644 mulheres (2013 - SIM)