Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Justiça nega pedido de medicamento à menina com AME

(Foto: Colaboração Catve.com) - Justiça nega pedido de medicamento à menina com AME
(Foto: Colaboração Catve.com)

Os pais da pequena Alexia diagnosticada com AME - Amiotrofia Muscular Espinhal, tiveram o pedido de medicamento para o tratamento da menina negado pela Justiça.

Segundo publicação nas redes sociais na página que fala sobre caso de Alexia, a 1ª Vara Federal de Cascavel julgou improcedente o pedido de fornecimento do medicamento SPINRAZA sob o argumento de que não existe eficácia comprovada do medicamento para crianças com mais de sete meses de idade e com assistência respiratória mecânica.

Os pais da menina têm conhecimento de que as crianças que seguem em tratamento com o medicamento diminuíram a incidência de doenças respiratórias, internamentos e ganharam força muscular. Eles afirmam ainda que cada ampola do medicamento tem um custo de mais de R$ 372 mil, sendo necessário ao primeiro ano de tratamento seis doses, o que equivale a mais de R$ 2,3 milhões.

O tratamento deve ser mantido pelo resto da vida, com três doses anuais.

Alexia, nasceu no dia 15 de agosto de 2015, na cidade de Quedas do Iguaçu/PR. Aos 9 meses, foi diagnosticada com AME - Atrofia Muscular Espinhal tipo 1. A doença genética não tem cura e é progressiva.

Os pais de Alexia seguem em busca de ajuda para que o tratamento não seja prejudicado.

As doações podem ser feitas pelo Banco do Brasil:

Agência 0531.2

Conta Poupança: 139.966-7

Variação 51

Alexia Benedetti da Silva

Colaboração Catve.com

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo