Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Novembro Azul: câncer não é único inimigo da próstata; especialistas alertam para outras doenças

(Foto: Pixabay) - Especialistas alertam: câncer não é único inimigo da próstata
(Foto: Pixabay)

A Campanha Novembro Azul foi criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de incentivar o cuidado masculino com a saúde, levando-se em consideração as doenças mais comuns nos homens, que acometem a próstata: hiperplasia benigna prostática (HBP), câncer de próstata e a prostatite.

Mas não são só essas doenças que devem preocupar os homens e por isso, a campanha reforça a importância das consultas periódicas ao urologista e dos exames preventivos.

Incontinência urinária: atenção ao funcionamento da bexiga 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a incontinência urinária atinge 10 milhões de brasileiros de todas as idades, mas principalmente a população idosa. A incontinência urinária acomete cerca de 50% dos homens que passam por uma cirurgia de câncer de próstata, pois o procedimento pode afetar o esfíncter - músculo que controla o fluxo da urina.

A incontinência é considerada o “câncer social”,  por dificultar a vida social e sexual do paciente.  Além do medo de deixar a urina escapar no parceiro ou de expor o uso de fraldas, o odor da urina torna algumas pessoas constrangidas em manter uma vida sexual ativa.

"A avaliação de um urologista é fundamental para a prevenção da incontinência urinária. Com uma boa avaliação do sistema urinário é possível escolher um tratamento acertado e prematuro, que pode prevenir danos maiores ao paciente no futuro e evitar doenças de bexiga como cistite ou câncer de bexiga”, afirma o urologista Clayton Bellei, da rede Unimed Volta Redonda.

O urologista explica que existem tratamentos específicos para cada tipo de incontinência - desde fisioterapia de reabilitação do assoalho pélvico, tratamentos medicamentosos, ou tratamentos cirúrgicos. No Brasil, existem duas cirurgias disponíveis: implantação de Sling, que funciona como uma tipóia, que sustenta o canal da urina ou implantação de um esfíncter artificial, que é um pequeno anel em volta da uretra, totalmente contido no corpo e imperceptível, que passa a ser o responsável pelo controle da urina.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo