Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Sintomas do Parkinson pode ser minimizados com “marca-passo”

(Ilustração: Pixabay) - Sintomas do Parkinson pode ser minimizados com “marca-passo”
(Ilustração: Pixabay)

Rigidez muscular, lentidão dos movimentos e tremores são, geralmente, os primeiros sintomas a serem observados em portadores da Doença (Mal) de Parkinson. A doença – mais comum em pessoas acima de 50 anos – atinge cerca de 200 mil pessoas no Brasil, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Com o objetivo de minimizar os sintomas da doença, oferecendo uma maior qualidade de vida aos pacientes, o Hospital INC tem utilizado uma nova e inovadora técnica para o tratamento do Parkinson. O DBS (estimulação cerebral profunda, em português) atua de forma complementar ao uso de medicamentos, podendo, inclusive, potencializar seus efeitos.

“O DBS consiste na colocação de eletrodos em uma região do cérebro conhecida como núcleos da base, em que há a modulação da transmissão nervosa relacionada ao sistema dopaminérgico e, assim, os sintomas da doença de Parkinson são tratados”, explica Murilo de Sousa Meneses, vice-diretor do departamento de neurocirurgia do INC.

Os eletrodos – implantados durante a cirurgia – são conectados a uma espécie de “marca-passo”, fixados sob a pele. “O DBS não é uma cura e o tratamento requer, também, o uso de medicamentos e o acompanhamento de uma equipe (um corpo médico) multidisciplinar. Mas é um começo”, ressalta.

Além dos sintomas motores, outras manifestações como constipação, diminuição do olfato e distúrbios comportamentais do sono podem surgir, à medida que a doença avança. O Parkinson é causado pela degeneração de neurônios, o que altera a produção do dopamina, neurotransmissor responsável pelo controle dos movimentos.

Com a cirurgia, a rigidez muscular, tremores nas extremidades, a redução da quantidade de movimentos e outros sintomas não-motores podem ser consideravelmente controlados, além de haver a possibilidade da diminuição de medicamentos e dos efeitos colaterais correspondentes ao seu uso.

Infelizmente, nem todos os pacientes com a doença de Parkinson são candidatos à cirurgia, e é necessário que alguns critérios sejam avaliados e preenchidos por um médico neurologista especialista na área. “A principal indicação é, além de ter o diagnóstico de doença, ter uma boa resposta dos sintomas ao tratamento com a medicação Levodopa - principal medicamento utilizado no tratamento clínico da Doença de Parkinson. Para isso, um neurologista deve fazer uma avaliação conhecida como Teste de Sobrecarga da Levodopa, em que uma escala específica para o Parkinson é utilizada e é avaliada a resposta de cada paciente”, explica Marcela Cordellini, neurologista do INC.

Mês da Conscientização da Doença de Parkinson

Abril é o mês da conscientização da Doença de Parkinson, sendo o dia 11 considerado dia mundial da doença. Para informar e educar a população a respeito do tema, o INC organiza anualmente um evento aberto com palestras para pacientes e seus cuidadores, com orientações sobre o que é a doença e os respectivos tratamentos. Esse ano, a ação será realizada no próximo dia 11, às 16h no Auditório do INC.

Colaboração Assessoria de Imprensa

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo