Denúncias de assédio eleitoral chegam a mais de 1,7 mil no segundo turno

O número de denúncias de assédio eleitoral continua crescendo em meio ao segundo turno das eleições. Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), já foram recebidas mais de 1,7 mil ocorrências no período, número quase oito vezes maior do que o registrado ao longo de toda a campanha de 2018, que teve 212 relatos.

Entre as regiões, o Sudeste lidera o número de queixas (765), seguido pelo Sul (501) e Nordeste (294). Quando comparados os estados, Minas Gerais lidera o ranking, com 496 ocorrências. Posteriormente, estão o Paraná (196), São Paulo (175) e Santa Catarina (168). No total, 1,3 mil empresas já foram denunciadas.

São considerados casos de assédio eleitoral quando a companhia ameaça, constrange ou orienta funcionários a manifestar apoio ou votar em candidatos indicados. O mesmo aplica-se à oferecer dinheiro ou benefícios aos trabalhadores ou fazer referência a candidatos em reuniões e por vestimentas, cartazes e panfletos.

Informações de SBT News