Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Bolsas da Europa fecham sem sinal único, com foco em balanços e dados

As principais bolsas europeias fecharam sem sinal único nesta quinta-feira, 27. Em uma sessão com volatilidade em vários mercados, os índices reagiram a vários balanços de empresas e também a um dado positivo do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido, acompanhando também o petróleo, que teve um movimento de recuperação após quedas recentes.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,01% (0,05 pontos), praticamente estável, em 341,71 pontos.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 subiu 0,41%, para 6.986,57 pontos. Na agenda de dados, o PIB do Reino Unido subiu 0,5% no terceiro trimestre ante o anterior e registrou expansão anual de 2,3%, acima das previsões de +0,4% e +2,3%, respectivamente. O dado positivo na verdade pressionou as bolsas, já que ele foi visto como um fator que reduz a chance de que o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) possa lançar mão de mais estímulos. Entre as ações em foco, Lloyds Banking Group avançou 2,90% e Barclays ganhou 4,79%, no setor bancário, e a petroleira BP subiu 1,14%.

Em Frankfurt, o DAX avançou 0,07%, para 10.717,08 pontos, quase estável. Entre as companhias que divulgaram resultados, o Deutsche Bank anunciou que teve lucro líquido de 278 milhões de euros no terceiro trimestre, o que reverteu o prejuízo de 6 bilhões de euros registrado em igual período de 2015. A ação do banco subiu 0,60%. Também no setor financeiro, Commerzbank teve alta de 0,67%, enquanto entre os papéis mais negociados o da Lufthansa caiu 1,5%, com a expectativa de greves da tripulação e um movimento de aparente realização de lucros.

Em Paris, o índice CAC-40 caiu 0,02%, para 4.533,57 pontos, também perto da estabilidade. O balanço da Nokia não agradou e a ação recuou 7,48%, porém a petroleira Total subiu 1,25% em dia positivo para o petróleo. Entre os bancos, Société Générale subiu 1,6% e Crédit Agricole teve ganho de 0,20%.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, subiu 0,84%, para 17.426,46 pontos. Os bancos se destacaram, com Monte dei Paschi di Siena, Popolare di Milano e Intesa Sanpaolo com altas de 1,30%, 4,29% e 1,57%, respectivamente. UniCredit também se saiu bem e avançou 2,76%.

No mercado madrilenho, o Ibex-35 avançou 0,26%, chegando a 9.197,20 pontos. A ação da Telefónica caiu 1,04%. Apesar da alta de 38% no lucro da companhia no terceiro trimestre, na comparação anual, a empresa anunciou que cortará o dividendo deste ano, no âmbito de sua estratégia de redução do endividamento. Já o banco Santander subiu 1,79%, um dia depois de publicar balanço que agradou.

Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 caiu 0,55%, para 4.675,81 pontos. O papel da Altri caiu 1,93% e Banco Comercial Português teve baixa de 1,63% e EDP-Energias de Portugal recuou 1,35%. (Com informações da Dow Jones Newswires)