Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Bolsas da Europa operam mistas, com influência de setor de energia e balanços

As bolsas da Europa não mostraram direção única na manhã desta sessão, em meio a uma série de resultados corporativos no continente, com destaque para as ações de energia, após a forte alta do petróleo ontem, embora hoje os contratos da commodity estejam voláteis. Além disso, os investidores acompanham a visita do presidente dos Estados Unidos, a Coreia do Sul, diante das tensões com a vizinha Coreia do Norte.

Às 8h30 (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,16%, enquanto a de Paris recuava 0,11% e a de Frankfurt tinha alta de 0,13%. Em Madri, o Ibex-35 tinha queda de 0,40%, enquanto em Milão, o FTSEMib subia 0,05%, e em Lisboa, o PSI20 avançava 0,49%.

Os papéis ligados ao petróleo e gás lideravam os ganhos logo cedo, apoiados pelo rali do dia anterior da commodity, em meio as tensões políticas na Arábia Saudita, após a prisão de diversos lideres do país devido a uma investigação contra a corrupção. Na Bolsa de Londres, a Tullow Oil (+4,66%) era destaque, assim como os papéis da BP (+0,51%) e da Royal Dutch Shell (+0,37%). Já o conglomerado de transporte marítimo e petróleo Moeller-Maersk tinha forte queda (-4,97%), pesando sobre ganhos maiores, após registrar prejuízo no terceiro trimestre.

As mineradoras também mostraram ganhos, com destaque para as ações da Glencore (+0,8%) e da BHP Billiton (+1,34%). O setor foi apoiado por uma recuperação nos preços do minério de ferro da China, que antes havia atingido o menor nível em quatro meses.

Papéis de tecnologia também contribuíram para que as bolsas não registrassem um viés positivo mais generalizado. A Dialog Semiconductor, fornecedora da Apple e da Samsung, divulgou uma perspectiva cautelosa no balanço do terceiro trimestre, o que fez suas ações recuarem mais de 7%.

Entre os indicadores, mais cedo a Alemanha registrou queda de 1,6% na produção industrial em setembro ante agosto, quando a previsão era de recuo menor, de 0,8%. Apesar do fraco resultado de setembro, a Destatis avalia que a indústria alemã continua forte e que a produção se expandirá nos próximos meses. Já as vendas no varejo na zona do euro subiram 0,7% em setembro ante agosto, acima da estimativa de 0,6% dos analistas consultados pelo Wall Street Journal.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo