Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Bolsas europeias fecham na maioria em alta, após dados positivos da zona do euro

As bolsas europeias fecharam na maioria em alta nesta segunda-feira, 24, após a divulgação de alguns indicadores positivos no continente. Papéis do setor bancário tiveram bom desempenho em algumas das praças. O mercado de Londres, porém, foi a exceção, pressionado pelo setor de energia em um dia negativo para o petróleo.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,03% (0,11 pontos), em 344,40 pontos, praticamente estável.

Na agenda de indicadores, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro subiu de 52,6 em setembro para 53,7 na preliminar de outubro, no maior nível em dez meses, segundo a Markit Economics. Analistas previam alta menor, para 52,8. Além disso, o PMI composto da Alemanha passou de 52,8 em setembro para 55,1 na prévia de outubro, no maior nível em três meses.

Os dados beneficiaram os mercados, porém o petróleo teve um dia negativo, o que contrabalançou esse movimento. O petróleo caiu em meio a dúvidas de que seja fechado o acordo entre importantes produtores da commodity para conter a oferta e impulsionar os preços, após autoridades no Iraque não se mostrarem no domingo dispostas a aderir.

Na bolsa de Londres, mais influenciada pelas petroleiras, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,49%, em 6.986,40 pontos. Entre as ações em foco no setor de energia, Independent Resources caiu 7,41% e Solo Oil recuou 4,55%. A petroleira BP teve baixa de 1,18%, enquanto entre as mineradoras Anglo American caiu 2,61%.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,47%, para 10.761,17 pontos. No setor bancário, Deutsche Bank subiu 1,83% e Commerzbank teve alta de 3,19%. A ação da montadora Volkswagen avançou 2,1% e a da BMW, 1,2%. Já no setor de energia o papel da E.ON recuou 1,22%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 0,36%, em 4.552,58 pontos. Os bancos se destacaram na capital da França, com Crédit Agricole em alta de 3,3%, BNP Paribas cedeu 2% e Société Générale com ganhos de 2,9%. Outro destaque foi Air France-KLM, que subiu 2,2% em meio a notícias de que planeja uma reformulação gerencial.

Em Milão, o FTSE-MIB avançou 0,81%, para 17.305,77 pontos. O setor bancário também se saiu bem, com Banca Monte dei Paschi di Siena em alta de 28% antes de uma reunião do conselho para aprovar seu novo plano estratégico, UniCredit subiu 4% e Intesa Sanpaolo avançou 2,1%.

Na olsa de Madri, o índice Ibex-35 se destacou e subiu 1,27%, para 9.216,20 pontos. Beneficiou o mercado espanhol o fato de que a oposição abriu espaço para o primeiro-ministro Mariano Rajoy formar um novo governo, de minoria, retirando incertezas da arena política nacional. Entre as ações mais negociadas, Banco Santander subiu 3,74%, Banco Popular Español avançou 4,22% e Bankia ganhou 3,98%. Telefónica teve alta de 1,13%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 0,30%, para 4.740,45 pontos. No mercado português, Sonae subiu 1,26% e EDP-Energias de Portugal avançou 1,14%, enquanto Banco BPI teve baixa de 0,18%. (Com informações da Dow Jones Newswires)