Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Câmara discute doação de área avaliada em R$ 6 milhões para instalação da BRF

(foto: Google Maps/Reprodução) - Câmara discute doação de área avaliada em R$ 6 milhões para a BRF
(foto: Google Maps/Reprodução)

A Câmara de Vereadores inicia na sessão desta quinta-feira (8) a discussão do projeto de lei encaminhado pelo Executivo em regime de urgência que doa uma área de 157 mil metros quadrados no prolongamento da avenida Saul Elkind, zona norte de Londrina para instalação da empresa de alimentos BRF (antiga Brasil Foods, fusão da Sadia e Perdigão).

A companhia anunciou investimento de R$ 80 milhões para a construção de um centro de distribuição na cidade, com previsão de gerar 261 empregos.

Com o centro instalado, a prefeitura pode arrecadar até R$ 22 milhões por ano com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Segundo laudo da Comissão Permanente de Avaliação de Bens do município, o terreno está avaliado em R$ 6 milhões.

A Comissão de Justiça, Legislação e Redação manifestou-se favoravelmente ao projeto e apresentou o substitutivo nº 1, para garantir que serão criados no mínimo 261 empregos, além de outras mudanças redacionais. A Comissão de Finanças e Orçamento votou favoravelmente ao projeto e ao substitutivo. A Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente também emitiu voto favorável e apresentou a emenda nº 1, acrescentando artigo ao projeto prevendo que o remanescente da área doada, sem construção, será destinado exclusivamente à futura expansão da empresa, caso contrário retornará ao Município. A emenda recebeu parecer favorável da Comissão de Justiça, com voto em separado do vereador Professor Rony (PTB).

São necessários 13 votos para aprovação do projeto.

De acordo com a gerente de Relações Institucionais da BRF S.A., Ana Carolina Carregaro, a escolha por Londrina deu-se em razão da localização estratégica do município para os negócios do conglomerado. "Desde 2015, estamos fazendo a revisão do Plano Diretor de Logística da empresa juntamente com a análise de ampliação dos serviços para os anos seguintes. Londrina foi escolhida em razão de sua localização estratégica à distribuição dos produtos para o Paraná e o Oeste paulista, pois somente no Paraná temos sete unidades industriais, que abastecerão o centro londrinense".

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo