Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Carga de energia do SIN cresce 1,7% em março ante março de 2015, diz ONS

A carga de energia que circulou pelo Sistema Interligado Nacional (SIN) em março cresceu 1,7% em relação a igual mês de 2015. Na comparação com fevereiro, houve queda de 1,1%, informou nesta segunda-feira, 11, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

A carga total de energia do SIN ficou em 69.400 megawatts (MW) médios. O volume de carga, divulgado mensalmente pelo ONS, é calculado a partir da soma de toda a energia movimentada no sistema elétrico, mas difere do volume de energia consumida em função das perdas existentes na rede.

Segundo o Boletim de Carga Mensal do ONS, o comportamento da carga vem sendo afetado pelo baixo desempenho da atividade econômica, diante da demanda interna fraca causada principalmente pelo endividamento das famílias, com taxas de juros e desemprego altos.

"Por outro lado, a ocorrência de temperaturas relativamente elevadas no subsistemas Sudeste/Centro-Oeste, na comparação com o mesmo mês do ano anterior e a continuidade do movimento de ajuste dos estoques contribuíram em sentido contrário, justificando a taxa de variação positiva da carga do SIN em março", diz o boletim.

Ao mesmo tempo, o ONS destaca que o aumento das tarifas de eletricidade vem se refletindo nos padrões de consumo de energia, contribuindo para a redução da carga, principalmente nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul.

Entre as regiões do País, a maior alta na comparação com março de 2015 foi registrada na Norte (4,8%), seguida pelo subsistema do Nordeste (3,1%) e pelo Sudeste/Centro-Oeste (2,4%). Na contramão, o subsistema do Sul apresentou queda de 3,3%.

Segundo o boletim, a taxa negativa do Sul foi influenciada pela ocorrência de temperaturas abaixo das verificadas no mesmo período do ano anterior. "Além disso, também contribuiu para esse resultado, o cenário econômico atual e a redução do consumo de energia decorrente do aumento das tarifas de energia elétrica."

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo