Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Dow Jones bate novo recorde apoiado em bancos, mas Nasdaq recua 1,27%

(Foto: Divulgação) - Dow Jones bate novo recorde apoiado em bancos, mas Nasdaq recua 1,27%
(Foto: Divulgação)

Os mercados acionários americanos encerraram esta quarta-feira, 29, em direções distintas com as perspectivas positivas em torno da reforma tributária apoiando ações de instituições financeiras, enquanto uma onda vendedora atingiu papéis de tecnologia.

O índice Dow Jones renovou máxima histórica e fechou em alta de 0,44%, aos 23.940,68 pontos. O mesmo movimento, porém, não foi seguido pelos outros índices, com o S&P 500 perdendo 0,04%, aos 2.626,07 pontos, e o Nasdaq cedendo 1,27%, aos 6.824,39 pontos.

Bancos estiveram, novamente, à frente dos ganhos nos mercados de ações nos Estados Unidos, à medida que o setor financeiro se beneficia do forte crescimento econômico no país, do aumento gradual das taxas de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e, principalmente, da perspectiva de aprovação de uma ampla reforma no sistema de impostos nos EUA. Nesta quarta-feira, o índice financeiro do S&P 500 atingiu o seu maior nível na história, ao subir 1,77%.

A reforma tributária esteve no radar o dia inteiro. Após o Comitê Orçamentário do Senado americano dar sinal verde para a conta elaborada pelos senadores republicanos, os investidores ampliaram o otimismo e veem grandes chances de o plano de impostos ser aprovado no plenário do Senado. A votação está programada para esta quinta-feira, de acordo com o líder republicano no Senado, Mitch McConnell.

Comentários da presidente do Fed, Janet Yellen, também estiveram no radar dos investidores. Ela se mostrou favorável a mudanças na regra de Volcker, que restringe a forma como os bancos investem depósitos de contribuintes, ao dizer que ela não deve ser aplicada a bancos pequenos. No entanto, Yellen manteve a cautela em torno de alterações na lei Dodd-Frank de regulação financeira.

Ao mesmo tempo em que o otimismo predominou entre os bancos, investidores se afastaram das empresas de tecnologia. O setor de tecnologia do S&P 500 apresentou o seu pior dia desde junho, ao registrar queda de 2,56%. O catalisador desse movimento veio da bolsa Nasdaq. De acordo com fontes ouvidas pelo Wall Street Journal, a Nasdaq planeja negociar contratos futuros de bitcoin já no primeiro semestre do próximo ano. Além disso, a corretora Cantor Fitzgerald deseja lançar derivativos de bitcoin também nos primeiros seis meses de 2018.

"É um pouco de mudança para uma paisagem de investimento mais amigável para o lado do setor financeiro", afirmou o diretor de investimentos da Clarfeld Financial Advisors, Michael Hans. Ele acrescentou, no entanto, que o cenário dos ganhos ainda é favorável para os papéis de tecnologia. "A mudança de hoje pareceu um impulso momentâneo", comentou. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo