Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Fechar questão é mínimo que PMDB pode fazer pela estabilidade, diz Baleia Rossi

O líder do PMDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), afirmou na tarde desta terça-feira, 5, que o fechamento de questão a favor da reforma da Previdência é o mínimo que a legenda pode fazer para garantir a estabilidade econômica do País. Ele disse ainda que a sinalização que tem é de que outros partidos da base aliada devem seguir o exemplo dos peemedebistas e também fechar questão a favor da proposta.

O fechamento de questão é uma decisão tomada pela maioria da executiva nacional de um partido. Quando isso acontece, parlamentares que votarem de forma diferente ao que determinou a direção da legenda podem ser punidos até mesmo com a expulsão. Há também o fechamento simbólico feito pelas bancadas no Congresso, quando não costuma haver punição.

"Fechar questão é o mínimo que o partido do presidente da República pode fazer para garantir a estabilidade", afirmou Rossi em entrevista à imprensa ao chegar à Câmara. Segundo ele, a perspectiva é de que, se a reforma da Previdência for aprovada, os indicadores econômicos devem melhorar. Um deles, disse, deve ser o desemprego, que poderá cair de 12% para 8%, de acordo com o peemedebista.

Baleia reafirmou que a "maioria absoluta" da bancada da sigla, a maior da Casa, com 60 parlamentares, é favorável à proposta e, por isso, vai encaminhar à executiva nacional do partido o pedido para fechamento de questão. A reunião da executiva para bater o martelo deve acontecer até quinta-feira, 7. Mais cedo, o peemedebista disse ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) acreditar que a executiva tem maioria para aprovar o fechamento de questão.

Na entrevista coletiva, Baleia evitou, contudo, dizer quantos votos favoráveis a bancada vai dar. "Vamos trabalhar um número grande de deputados para votar a favor", afirmou. Ele também desconversou ao ser questionado se o partido deverá punir os deputados que votarem contra a reforma. Segundo ele, essa é uma questão a ser definida pela direção do partido. "A ideia é que deputados sejam convencidos de que aprovar a reforma é melhor caminho", disse.

Como mostrou na segunda-feira o Broadcast, o presidente Michel Temer trabalha para que, pelo menos, seis partidos - PMDB, PSDB, PP, DEM, PRB e PTB - que reúnem 219 deputados, fechem questão a favor da reforma.

A maioria das legendas, contudo, considera que isso só será possível se o PMDB, partido de Temer, e o PSDB tomarem a dianteira. O PSDB marcou reunião para esta quarta-feira, 6, para decidir sobre o tema.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo