Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Ibovespa cai 1,94% com incertezas em torno da reforma da Previdência

O aumento das incertezas em relação à reforma da Previdência deu o tom dos negócios no mercado brasileiro de ações nesta quarta-feira, 29, o que levou o Índice Bovespa a uma queda de 1,94%, aos 72.700,45 pontos, na menor pontuação do dia. Declarações do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, enfraqueceram mais a confiança na aprovação da reforma na Câmara este ano, favorecendo a migração para ativos mais conservadores. Fatores externos, como a forte queda do petróleo, também contribuíram para o recuo das ações no Brasil, mas em menor proporção.

Eliseu Padilha disse que a atual versão da reforma da Previdência está "no osso", sem espaço para novas concessões, e que o governo não irá forçar nenhum partido da base governista a fechar questão em favor da reforma. Padilha antecipou o desembarque do PSDB, dizendo que o partido já não faz parte da base do governo, embora tenha dito que o governo ainda conta com os votos da legenda. As declarações tiveram intensa repercussão e motivaram a publicação de uma nota do PSDB no final da tarde, na qual a legenda nega a exigência de concessões para a apoiar a reforma.

No cenário externo, o petróleo chegou a subir mais cedo, mas perdeu fôlego com informações sobre o encontro de ministros de Energia em Viena a respeito de uma possível extensão no acordo de corte na produção pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). O ministro do Kuwait afirmou que o período da extensão no pacto ainda está sendo decidido, indicando que mais seis meses na redução da oferta de petróleo ainda estão sobre a mesa. Nesse contexto, as ações da Petrobras fecharam com perdas de 2,27% (ON) e 3,22% (PN).

Outro fator externo monitorado de perto foi a tramitação da reforma tributária nos Estados Unidos, aprovada na terça-feira no Comitê de Orçamento do Senado. A expectativa é de que o plenário do Senado comece ainda nesta quarta as discussões para votação da matéria. Mais cedo, a segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos mostrou alta de 3,3% no terceiro trimestre, a mais forte em três anos.

Os papéis do setor financeiro estiveram entre as ações de maior queda no pregão. Responsáveis por mais de 25% da composição do Ibovespa, eles foram determinantes para o viés negativo do índice. Segundo operadores, as quedas mais fortes estão relacionadas ao maior risco político, mas também à maior liquidez desses papéis. Banco do Brasil ON terminou o dia com queda de 4,53%, enquanto Itaú Unibanco PN recuou 2,06%.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo