Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta com Alemanha; Londres cai com libra

A maioria das principais bolsas europeias fechou em alta nesta sexta-feira, 24, de olho nos sinais da política da Alemanha. Na Bolsa de Londres, porém, o fortalecimento da libra durante o pregão pressionou as ações de exportadoras, o que fez o índice acionário local ficar com sinal negativo.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,13%, em 386,61 pontos. Na comparação semanal, o Stoxx 600 avançou 0,73%.

O dia foi de volumes mais baixos, por causa do feriado de Ação de Graças na quinta-feira, 23, nos EUA. Após fechar na quinta, os mercados americanos operam em horário reduzido na sexta, o que diminui os negócios.

Na Europa, os negócios foram beneficiados por uma novidade na política alemã: após uma longa reunião, o Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão) decidiu que pode negociar uma coalizão com o grupo da chanceler Angela Merkel. Embora não exista a certeza de que isso dará certo, a perspectiva de que não sejam necessárias novas eleições e de que possa haver mais um governo comandado por Merkel agradou aos mercados.

Ainda na Alemanha, o índice Ifo de sentimento das empresas subiu de 116,8 em outubro a 117,5 em novembro, patamar recorde. Analistas previam 116,7. Os sinais da política e o dado forte animaram as bolsas, mas o euro também se fortaleceu, o que conteve os ganhos acionários.

Em Londres, o fortalecimento da libra impediu um fechamento positivo, já que o movimento cambial pressiona as ações de exportadoras do Reino Unido. Ao mesmo tempo, foram monitoradas as discussões entre a premiê Theresa May e autoridades europeias para a saída do país da União Europeia, o chamado Brexit.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,10%, em 7.409,64 pontos. Na comparação semanal, o índice avançou 0,39%. O papel da Persimmon teve queda de 3,6%, com o setor de construção sob pressão após o anúncio de uma nova política habitacional no país, na quarta-feira. Já Lloyds subiu 0,56% e Barclays avançou 0,32%.

Em Frankfurt, o índice DAX teve ganho de 0,39%, a 13.059,84 pontos, e na semana ganhou 0,51%. Deutsche Bank subiu 0,50% e Commerzbank ficou estável, entre os papéis mais negociados, enquanto E.ON recuou 0,21%. BASF avançou 2,91%.

Na Bolsa de Paris, o CAC-40 avançou 0,20%, a 5.390,46 pontos, e na comparação semanal teve alta de 1,34%.

O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, avançou 0,08%, a 22.416,31 pontos, e na semana ganhou 1,46%. Entre as ações mais negociadas, Intesa Sanpaolo subiu 0,07%, UniCredit teve ganho de 1,48% e Banco BPM avançou 4,81%, mas Enel recuou 0,65%.

Em Madri, o índice IBEX-35 fechou em alta de 0,21%, a 10.053,50 pontos, e na semana avançou 0,43%. Entre os bancos espanhóis, Santander, Banco de Sabadell e BBVA subiram 0,82%, 0,79% e 0,85%, respectivamente. Já Iberdrola recuou 0,71%, no setor de energia.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 recuou 0,50%, a 5.283,35 pontos, mas na semana subiu 0,47%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo