Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Metalúrgicos da Embraer aprovam proposta de reajuste salarial

Os metalúrgicos da Embraer em São José dos Campos aprovaram nesta quinta-feira, 17, a proposta de reajuste salarial apresentada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que representa a empresa nas negociações com os empregados.

A proposta em questão, referente à data-base 2016, prevê um abono fixo no valor de R$ 4 mil por empregado, independentemente da faixa salarial, a ser pago em 30 de novembro de 2016, somado a um reajuste salarial de 5% sobre o salário nominal a partir de janeiro de 2017.

A Embraer também se comprometeu a estender o reajuste e o abono aos trabalhadores que aderiram ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) da companhia. O reajuste será aplicado aos salários a partir de primeiro de janeiro, enquanto o abono será pago já em novembro. Os funcionários que recebem salário superiores a R$ 11.835,52 terão ainda um fixo de R$ 591,77.

Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos ressalta que a proposta apresentada pela Fiesp representa um avanço em relação aos termos apresentados em reuniões anteriores - na primeira negociação, a oferta era de abono de R$ 4 mil, mas com reajuste zero. Também em nota, a Embraer informa que aguarda a apreciação nas demais regiões.

Lay-off

O sindicato também informa que as negociações com a Embraer sobre a abertura de lay-off continuam no próximo dia 23. Na assembleia desta quinta-feira, os trabalhadores reivindicaram a redução da jornada para 40 horas semanais, sem redução de salário, como alternativa ao lay-off - atualmente, a Embraer pratica 43 horas semanais e possui 13 mil trabalhadores em São José dos Campos.

No último dia 10, a Embraer informou que iniciaria negociações com o sindicato para o estabelecimento de um acordo de lay-off para até 2 mil empregados da unidade de São José dos Campos - a proposta da empresa prevê a suspensão temporária do contrato de trabalho por um período de dois a cinco meses, com o lay-off podendo ser realizado entre janeiro de 2017 e dezembro de 2018.