Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Não deixaremos retornos dos bônus dos EUA ditarem o ritmo dos japoneses, diz BoJ

O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, afirmou nesta quinta-feira que não permitirá que a pressão do mercado vinda do exterior dite o ritmo dos retornos dos bônus do governo japonês. A declaração mostra a determinação de Kuroda em manter baixos os juros desses bônus no país.

"As taxas de juros podem ter subido nos EUA, mas isso não significa que automaticamente tenhamos que deixar as taxas de juros japonesas seguir junto", afirmou Kuroda no Parlamento.

A declaração ocorreu uma hora após o BoJ anunciar que iria comprar montantes ilimitados de certos bônus do governo em suas mais recentes operações diárias no mercado. É a primeira vez que o banco central faz isso após introduzir em setembro uma meta de zero para o retorno do bônus de 10 anos do governo japonês.

Os retornos dos bônus japoneses subiram nos últimos dias, refletindo o forte avanço nos juros dos bônus dos EUA após a vitória de Donald Trump na corrida pela presidência do país. A vitória de Trump afetou os mercados de bônus pelo mundo.

Kuroda disse que o BoJ é que determinará os níveis de retorno apropriado, analisando a economia e as condições de preço do Japão. Fonte: Dow Jones Newswires.