Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Curitiba, PR
Clima
20.6ºC
Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Paranaenses estão mais comedidos com os presentes neste Natal

Redação

Redação

Os paranaenses estão mais comedidos neste Natal. Sondagem feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) e pelo Sebrae/PR revela que 78,8% da população pretende presentear no Natal. Esse percentual é inferior aos 82,3% registrados em 2021. O valor dos presentes deste ano também será menor: o tíquete médio será de R$ 322,36 ante os R$ 434,95 do ano passado.

Foto: Divulgação

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Empresarial da Fecomércio PR, Rodrigo Schmidt, o Natal é a principal data do varejo nacional e a expectativa neste ano é que continue movimentando o comércio de bens, serviços e turismo, com a intenção de compras um pouco menor do que em 2021, mas superior ao ano pré-pandemia.

“A projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a CNC, inclusive, é que alguns segmentos tenham expansão de vendas neste ano, como os de hiper e supermercados, por exemplo. Nas semanas que antecedem às festas natalinas há uma grande expectativa de reunião de famílias e amigos, e são muito positivas para o comércio, que também se beneficia no período de trocas, quando muitos consumidores retornam às lojas e acabam aproveitando a ocasião para comprar outros produtos”, afirma.

Problemas financeiros e o desemprego são os vilões neste Natal. Entre os 18,8% de paranaenses que não vão presentear e os 2,4% que ainda não decidiram, os principais motivos são as dificuldades financeiras ou por estar desempregado, com 46,8%. No ano passado essa parcela era de 45,2%. Outros 31,7% não alegaram motivo específico, 15,2% disseram não comemorar a data e 6,3% que não têm a quem presentear.

Tipo de presente

As principais escolhas de presentes natalinos serão itens de vestuário (54,6%), brinquedos (37,9%), calçados (16,4%), perfumes e cosméticos (15,4%), acessórios (14%), lembrancinhas e artesanatos (8,9%), livros e afins (8,2%), eletroeletrônicos, como videogames, notebooks, tablets, celulares e TVs (8,2%), joias e relógios (5,1%). Também foram citados dinheiro em espécie, eletrodomésticos, comidas e bebidas e viagens.

Período da compra

A semana de Natal será a mais movimentada. Neste ano, boa parte dos paranaenses, 50,7%, vai deixar para comprar os presentes até sete dias antes da data, aumento considerável em relação aos 41,2% de 2021. Outros 23,9% irão às compras de 8 a 15 dias do Natal e 9,5% farão a compra dos presentes no mesmo dia. Os que preferem se antecipar e já começaram as compras natalinas, há mais de um mês, correspondem a 5,6% e os que vão comprar os presentes com 16 a 30 dias de antecedência somam 10,2%.

Tem também os consumidores que aproveitaram a Black Friday para antecipar as compras de Natal. Segundo outra sondagem realizada pela Fecomércio PR e pelo Sebrae/PR, 17,8% adiantariam as compras natalinas durante as promoções de novembro.

Local das compras

Segundo a sondagem, as lojas de bairro receberão 32,8% do movimento e as lojas do centro da cidade, 25,3%. Com o abrandamento da pandemia, o comércio de rua tradicional voltará a receber o maior fluxo de consumidores, com 58,1%, justamente o mesmo percentual registrado para as compras pela internet no ano passado. Em 2022, as compras pela internet devem corresponder a 34,5%. As lojas de shopping receberão 23,9% dos consumidores e os hipermercados, 4,1%.

O coordenador estadual de Mercado de Varejo do Sebrae/PR, Lucas Hahn, sugere dois pontos de atenção aos empresários, na parte de engajamento de equipes e o ambiente de loja para a experiência física com os clientes. “Políticas de compensação podem auxiliar no incentivo dos colaboradores. Uma loja física com bom atendimento, com a equipe motivada, atenciosa, é um grande diferencial do meio on-line, que também seguirá como um grande canal de vendas”, explica.

Outro aspecto importante é a preocupação com a organização do ambiente. “É necessário pensar em uma experiência para o cliente. Isso pode ser feito por meio de enfeites natalinos, utilização de balas, doces, água, playlists, entre outros. Essas ações aproximam o cliente da marca e podem ser uma ótima estratégia para vendas e até a fidelização”, ressalta Lucas Hahn.

Pesquisa de preço

A pesquisa de preço será feita por 80,9% dos consumidores, sendo que 50,3% vão usar a internet para comparar preços, ainda que a maior parte das compras deva ser feita em lojas físicas.

Em 2022, 74,4% das buscas por valores de presentes foram feitas on-line. Outros 30,6% farão a pesquisa de preço pessoalmente, parcela superior aos 17% que fariam pesquisa de preço presencial no ano passado.

Número de pessoas presenteadas

A maior parte dos paranaenses, 73,8%, vai presentear até cinco pessoas, índice parecido com 2021, quando 74% dos consumidores planejam comprar presentes para essa quantidade de pessoas. Outros 23,8% devem presentear de seis a dez pessoas e somente 2,4% presentearão mais de dez pessoas.

Formas de pagamento

O cartão de débito será a principal forma de pagamento, citada por 35,3% dos consumidores. Outra opção será no cartão de crédito parcelado, com 29,4%. O pagamento por pix corresponderá a 22,4%; em dinheiro, a 20,6%; e no cartão de crédito à vista, 20,3%.

Influência na decisão de compra

O atendimento do vendedor será o destaque neste Natal. Receber um bom suporte do consultor de vendas é apontado como o principal fator de influência na decisão de compra para 29,9% dos consumidores na sondagem deste ano, um verdadeiro salto em relação aos 4,2% que mencionaram o fator atendimento em 2021.

Em segunda posição vem o fator financeiro. O preço baixo será decisivo para 22,8% e a qualidade do produto influenciará 14,9% dos compradores, bem como promoções (13,9%) e descontos (10,3%).

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Ative as notificações e fique por dentro das notícias

Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia