Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Taxas longas de juros fecham em leve alta em dia ruim para ativos emergentes

Os juros futuros fecharam a sessão regular desta segunda-feira, 13, entre a estabilidade e leve alta no caso dos contratos de longo prazos, após alternarem altas e baixas durante todo o dia. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) encerrou em 7,27%, de 7,29% no ajuste de sexta-feira e a do DI para janeiro de 2020 passou de 8,57% para 8,58%. A taxa do DI para janeiro de 2021 subiu de 9,41% para 9,44% e a do DI para janeiro de 2023 avançou de 10,18% para 10,25% (máxima).

Após passarem a manhã rondando os ajustes anteriores, as taxas ensaiaram queda no começo da tarde, quando bateram mínimas, mas o movimento não prosperou e zeraram a o recuo para voltarem a oscilar perto dos ajustes anteriores. Profissionais da área de renda fixa lembram que as taxas subiram muito na sexta-feira e hoje haveria um potencial de melhora com o noticiário em torno da reforma ministerial e da Previdência, mas o cenário externo atrapalhou. "Tivemos notícias positivas no fim de semana, mas o dia não é bom nos mercados globais", afirmou o diretor de gestão de renda fixa e multimercados da Quantitas, Rogério Braga.

É vista com bons olhos a informação de que presidente Michel Temer deve tirar do papel, nas próximas semanas, a reforma ministerial, o que deve abrir caminho para a tramitação da reforma da Previdência. Com o PSDB já admitindo que deixará o governo, o partido deve perder metade de seus ministérios, enquanto PMDB e PP podem ganhar novas cadeiras.

Como apurou o Broadcast Político, o Planalto quer tornar a composição do governo proporcionalmente mais justa aos votos obtidos por cada partido em pleitos importantes. Nesse sentido, o PSDB é visto como uma legenda que entrega menos do que outros partidos aliados ao governo.

Nesta segunda-feira, em evento da Câmara Brasileira de Comércio, em Londres, o diretor de Política Monetária da instituição, Reinaldo Le Grazie, disse que o governo tem tido sucesso com as reformas e que a próxima é a da Previdência, mas que é difícil responder o quanto o mercado já precificou.

O dólar esteve em alta ante a maioria de moedas de países emergentes durante todo o dia. No Brasil, era negociada em R$ 3,2959 (+0,32%) às 16h22. Nos Treasuries, as taxas avançavam, com a da T-Note de dez anos novamente próxima a 2,40%, em 2,395%.

Os investidores mantêm uma postura defensiva diante dos riscos de atraso da reforma tributária nos EUA, embora o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, tenha mostrado confiança de que será aprovada ainda neste ano.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo