Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Vendas do comércio crescem 4,8% em janeiro

Foto: Arquivo ANPr - Vendas do comércio crescem 4,8% em janeiro
Foto: Arquivo ANPr

Dados da Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada nesta terça-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram um avanço de 4,8% nas vendas do varejo em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado.

As vendas cresceram principalmente entre bens duráveis, como móveis e eletrodomésticos, com aumento de 15% na comparação com o janeiro do ano passado. As vendas de veículos, motocicletas, partes e peças aumentaram 9,3% e de material de construção, 8,9%.

A comercialização de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria e cosméticos aumentaram 8,5% na mesma base de comparação. As vendas de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebida e fumo subiram 1,1%.

A recuperação da renda e a melhora na economia estão estimulando compras que foram adiadas durante a crise, explica o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), Julio Suzuki Júnior. “Móveis, eletrodomésticos e automóveis, que tiveram a vida útil prolongada por conta da crise, agora começam a ser substituídos”, diz.

As famílias também estão menos endividadas e têm controlado mais o orçamento. “O crédito, em termos de volume, está praticamente estável, o que mostra que há uma preocupação em não aumentar o endividamento”, explica Suzuki.

Com o crescimento do crédito imobiliário, principalmente no fim dos anos 2000, muitas famílias comprometeram parte do orçamento com o financiamento da casa própria. “Trata-se de uma despesa de longo prazo, que restringe o orçamento. Mas com o aumento da renda, aos poucos, sobra espaço para contratação de mais crédito” disse,

A recuperação das vendas do comércio começou no ano passado. O setor teve o primeiro resultado positivo em dois anos, com crescimento de 4% em relação a 2016.

A projeção para 2018 é que o consumo siga com números positivos nos próximos meses, resultado principalmente da recuperação da geração de emprego e renda. “Renda familiar, crédito e consumo caminham juntos”, diz o diretor-presidente do Ipardes.

Com informações da AEN

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo