Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Diretores e professores que incentivam ocupações serão punidos

(Foto: Bruno Amaral) - Diretores e professores que incentivam ocupações serão punidos
(Foto: Bruno Amaral)

O Governo do Estado anunciou mais uma estratégia contra a ocupação das escolas estaduais do Paraná. A nova medida adotada é a punição a diretores e professores que estiverem dando amparo aos estudantes que ocupam as instituições.

Quem não “cumprir com as determinações legais” em relação às ocupações vai responder processos administrativos ou sindicâncias e poderá ser punido com afastamentos e até demissão. “Vamos trabalhar com muito critério para não cometermos injustiças, mas seremos rigorosos com quem não está cumprindo com as suas obrigações”, afirmou o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni.

Durante a reunião que reuniu representantes do governo, diretores, professores e pais de alunos, a ocupação das escolas foi classificada como ilegal e abusiva. “O direito de quem quer estudar precisa ser respeitado”, comentou o procurador-geral do Estado, Paulo Rosso. A Procuradoria já ajuizou diversas ações pedindo a reintegração de posse dos imóveis ocupados e os conselheiros tutelares foram oficiados para verificar denúncias de que menores de idade estão dentro das escolas.

Greve

Os professores que não desejam aderir à greve da categoria ou que trabalham em escolas ocupadas poderão registrar oficialmente sua decisão por meio de um documento que será disponibilizado pela secretaria de estado de Educação. A secretaria anunciou ainda que quem aderiu à paralisação terá falta lançada.

Colaboração Agência de Notícias do Paraná