Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Foz recebe III Seminário Fronteiras do Brasil com presença de Jornalistas

Luciano Barros, Presidente do Idesf. (Foto: Assessoria) - Foz recebe III Seminário Fronteiras do Brasil
Luciano Barros, Presidente do Idesf. (Foto: Assessoria)

O Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (Idesf) apresenta nesta quinta-feira (27), no auditório da Polícia Federal de Foz do Iguaçu, o diagnóstico: Cidades de Fronteira e Economia do Crime.

O documento será apresentado durante o III Seminário Fronteiras do Brasil, cujas inscrições podem ser feitas pelo site http://www.idesf.org.br/.

Para o encontro, cerca de 300 pessoas são esperadas, entre servidores públicos da área de segurança e sociedade civil. As inscrições podem ser feitas até quarta-feira (26) e as vagas são limitadas.

O evento tem como objetivo discutir as fronteiras brasileiras, a partir do foco do desenvolvimento. Ou seja, as fronteiras com seus problemas em toda sua dimensão, para apontar as questões de desenvolvimento dessas áreas.

Segundo o presidente do Idesf, Luciano Stremel Barros, o estudo traz duas novidades, a primeira partindo dos quatro eixos de desenvolvimento, a segunda a ampliação da área de alcance do diagnóstico. Foram analisadas 120 cidades brasileiras de fronteira.

“Nos eventos anteriores os estudos traziam as cidades gêmeas e as características, hoje estendemos essas características para as cidades que estão na linha de fronteira”, adiantou Barros.

Documento digital 

O estudo completo também estará disponível para consulta no site do instituto a partir do dia 27. Os dados estarão disponíveis mediante um cadastro e o usuário pode fazer um cruzamento de dados, por exemplo, Foz do Iguaçu e Paranhos, no Mato Grosso do Sul, é possível traçar o perfil e apontar as diferenças entre os municípios através dos itens que o usuário marcar (saúde, educação, segurança e economia).

“Esse diagnóstico serve principalmente para os governos entendam o que falta fazer, comparativamente com o resto do país. Para entender o contexto que vivemos e o que cabe ao cidadão para melhorar. O estudo tem a missão de levar conhecimento, entendendo exatamente o território que se vive, que se trabalha e quais são as necessidades desses municípios para que se melhorem as condições locais”, avalia o presidente do instituto.

Programação

  • 14h – Credenciamento
  • 14h30 – Cerimônia de abertura
  • 15h30 – Palestra de abertura – A importância do direito internacional para o desenvolvimento das nações
  • Wagner Menezes – Doutor em Direito Usp
  • 16h – Painel: diagnósticos das fronteiras brasilerias
  • Alex Jorge das Neves – Mestrando em Estudos Fronteiriços UFMS e assessor da SENASP/MJ
  • Denise Paro – Jornalista e autora do livro “Foz do Iguaçu: do descaminho aos novos caminhos”
  • Adriano Strassburger – Economista da Egope e consultor do Idesf
  • Mediador: Jornalista Carlos Gruber
  • 17h – Coffee break
  • 17h20 – Palestra: Projeto Intercops – Interpol
  • José Gomes Monteiro Neto – coordenador do Intercops
  • 17h50 – Palestra: Contrabando e Carga tributária
  • Paolo Cussotto – Adido da Polícia Financeira – Embaixada da Itália no Brasil
  • 18h20 – Painel: Economia do Crime
  • João Henrique Martins – Consultor do departamento de segurança da Deseg/FIESP
  • Pery Francisco Assis Shikida – pós-doutor em economia pela FGV
  • Marco Antonio Jorge – Doutor em economia pela FGV
  • Marc Berzoni Smith – delegado da Polícia Federal em Guaíra
  • Luciano Stremel Barros – Economista e presidente do Idesf
  • 20h – Encerramento

Colaboração: Assessoria