Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Observatório das Metrópoles de Maringá é contemplado para programa sobre direito à cidade

Programa foca em desafios que asseguram o bem-estar urbano  (Foto: UEM) - Observatório é contemplado para programa sobre direito à cidade
Programa foca em desafios que asseguram o bem-estar urbano (Foto: UEM)

O Observatório das Metrópoles da Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi contemplado num edital do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), para desenvolver um programa sobre o direito à cidade, focado na avaliação dos desafios para assegurar o bem-estar urbano no Brasil. 

O projeto obteve o segundo lugar na classificação entre os das áreas de Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas. O anúncio foi feito pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que divulgou a lista das 101 iniciativas que darão continuidade a um dos maiores programas de ciência e tecnologia do Brasil — os INCTs (Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia).

A equipe da Rede Observatório das Metrópoles comemora o resultado e apresenta à comunidade científica brasileira o seu mais novo programa de pesquisa, intitulado “As Metrópoles e o Direito à Cidade: conhecimento, inovação e ação para o desenvolvimento urbano”.

O programa vai focar na avaliação dos desafios para assegurar o bem-estar urbano no país, a partir da análise de temas como direito à cidade, cidadania metropolitana, governança, regimes urbanos, financeirização da cidade e gestão participativa.

Para Ana Lúcia Rodrigues, professora da UEM e coordenadora do Núcleo do Observatório das Metrópoles em Maringá, a aprovação é importante para assegurar a continuidade e a participação da instituição no desenvolvimento de pesquisas compartilhadas nacionalmente pelos núcleos regionais.

O programa contemplado está organizado em 17 projetos distribuídos em quatro linhas de pesquisa. O Núcleo da UEM/Maringá envolverá diretamente, nos próximos cinco anos,  cerca de 20 professores pesquisadores, além de alunos de graduação e pós-graduação. 

Colaboração Assessoria de Imprensa