Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Mais um Farol do Saber revitalizado será entregue em dezembro

- Mais um Farol do Saber revitalizado será entregue em dezembro

A rede de Faróis do Saber da Secretaria Municipal de Educação possui hoje 44 unidades. 32 delas são faróis de escola (junto a unidades da rede), 9 de praça (em pontos conhecidos e de fácil acesso nos bairros) e três temáticos (que não têm a arquitetura característica dos faróis). Em dezembro, durante o Multirão da Cidadania no Boqueirão, será entregue a reforma do Farol Mário Quintana.

As obras iniciaram no começo de novembro e o local recebe intervenções internas e externas, que envolvem desde a pintura até a revitalização do banheiro. A definição dos Faróis que entram em obras segue o estudo feito pela Coordenadoria de Obras da Secretaria da Educação, que elaborou um amplo diagnóstico sobre as unidades. Esta é a quarta unidade que passa por revitalização somente neste ano.

Já foram reformadas pelo prefeito Rafael Greca as unidades do Cajuru (Farol Herbert de Souza), do Boa Vista (Farol Manuel Bandeira) e da CIC (Farol Fernando Amaro. No total, as obras exigiram um investimento de R$ 182 mil. A unidade do Pinheirinho (Farol José de Alencar), que é vinculada à Escola São Mateus do Sul também receberá a revitalização.

Cada unidade mede cerca de 100 metros quadrados. A obra mais cara foi a do Farol Herbert Souza, que agora é um Farol do Saber e Inovação. A unidade recebeu uma revitalização na rede elétrica do local para que fosse capaz de abrigar o primeiro espaço maker da rede municipal de ensino, que conta com uma impressora 3D. Cerca de R$ 87 mil reais foram investidos neste projeto.

Em segundo lugar vem a revitalização do Farol do Saber Manuel Bandeira, no Pilarzinho, que custou R$ 55 mil e contou com a troca de piso, pintura, substituição da iluminação, ventilação, entre outras. Depois o Farol do Saber Fernando Amaro, que custou R$ 40 mil, onde houve substituição de chapas que estavam enferrujadas, substituição dos vidros, revisão da parte elétrica, entre outras.

Colaboração Angélica Klisievicz Lubas