Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

5 cases de indústrias paranaenses que utilizam a logística reversa

- 5 cases de indústrias paranaenses que utilizam a logística reversa

Quando consumimos um item industrializado, como um bala ou um medicamento, por exemplo, geramos um resíduo. Todo produto, após ser usado, pode ter seus materiais reutilizados. E, se não for possível fazer um novo item a partir do plástico ou papel, por exemplo, é preciso fazer a destinação correta.  As indústrias paranaenses estão preocupadas em dar uma destinação adequada para os materiais gerados após o consumo de seus produtos. Por isso, investem em processos de logística reversa - o caminho percorrido por um produto após seu uso, para o descarte correto.

O Sistema Fiep promove e apoia essas ações sustentáveis, além de ofertar serviços e consultorias que orientam as indústrias a produzirem com menor impacto no meio ambiente e a reaproveitarem os resíduos. A entidade auxilia na elaboração de planos para adoção de políticas. No Paraná, algumas indústrias se destacam por fazer o caminho inverso dos resíduos do produto no pós-consumo até às fábricas. Conheça 5 cases de indústrias paranaenses que se destacam:

1. Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado do Paraná (Sinqfar)

O Sinqfar possui um plano de logística reversa para o recolhimento de remédios desde 2012. Mais de mil quilos de medicamentos já tiveram a correta destinação, e o plano é aprovado junto a Secretaria de Estado e Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema) e Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa).

2. Bala de Banana Antonina

A bala de banana Antonina, produto tradicional do litoral do Paraná, realizou uma campanha de reutilização dos papéis de bala. Bastava o consumidor juntar as embalagens e trocar em um ponto divulgado pela indústria. Juntando 80 embalagens, o cliente poderia trocar por um pacote de bala de 200 gramas e, juntando 130, o pacote era de 500 gramas. Segundo o sócio-proprietário João Soter, mais de 10 mil papéis foram recolhidos no período da ação.

3. Instituto Paranaense de Reciclagem (Inpar)

O Instituto Paranaense de Reciclagem é uma iniciativa incentivada pelo Sistema Fiep e foi criada recentemente, em julho de 2017. O principal objetivo da ação é o correto descarte e reutilização de embalagens das indústrias de alimentos, visando diminuir a quantidade de resíduos e minimizar os impactos ao meio ambiente.

4. O Boticário

O Grupo O Boticário tem um programa amplo de sustentabilidade desde 2006. Nas lojas O Boticário, os consumidores podem deixar nas lojas embalagens usadas, que serão encaminhadas para a destinação correta. A marca Quem Disse, Berenice?, também do Grupo, promoveu uma ação de troca de embalagens antigas de batom - de qualquer marca -  por um voucher para ganhar um novo produto. 

5. Vale Fértil

A Vale Fértil é uma marca de azeitonas com fábrica em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O projeto da empresa visava o recolhimento de embalagens usadas e entregues por clientes de Curitiba e municípios próximos à capital. Os vidros, por exemplo, não poderiam estar quebrados e deveriam estar com as tampas correspondentes. A campanha durou seis meses e todo o material recolhido foi para reciclagem.

Colaboração Emilia Jurach