Morre Lolita Rodrigues, pioneira da televisão brasileira, aos 94 anos

EDMIR LIMA

lolita-rodrigues
Foto: João Miguel Júnior / TV Globo (reprodução)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A atriz Lolita Rodrigues morreu neste domingo (5), aos 94 anos, em João Pessoa, capital paraibana onde morava nos últimos anos.

Apesar de reclusa nos últimos anos, a artista participou de quatro marcos históricos da TV brasileira. Foi ela quem em 18 de setembro de 1950, na inauguração da TV Tupi, a primeira emissora do país, abriu as transmissões ao cantar o “Hino da Televisão Brasileira”.

Esse primeiro momento histórico só foi possível graças à amiga Hebe Camargo, que estava escalada para a abertura, mas preferiu prestigiar um evento do namorado Luís Ramos. Alegando estar rouca, Hebe indicou Lolita. “‘Você segura a história?’, ela me perguntou. Eu segurei por uns 40 e tantos anos”, afirmou Lolita, numa entrevista em 2000.

Nascida em Santos, no litoral paulista, e mais jovem de cinco irmãos de uma família de imigrantes espanhóis, a atriz, cantora e apresentadora começou a trilhar sua carreira aos nove anos, com participações em programas infantis. Estreou em 10 de janeiro de 1939, na rádio Atlântica, de Santos, na “Hora Infantil”, sob direção de Dindinha Sinhá.

Até então ela usava o nome de batismo, Sylvia Gonçalves Rodrigues Leite, nascida em 10 de março de 1929, filha de uma empregada doméstica e de um motorista de caminhão. E já cantava tangos, rumbas e boleros. “Meus pais foram criaturas maravilhosas. Eles não queriam que eu fosse operária”, afirmava.

E foi em São Paulo, para onde a família teve de se mudar, em 1942, que a menina dos olhos verdes decolou. A mãe, dona Isolina Gonzalez, que a incentivava a participar de todos os programas de calouros das rádios, foi quem escolheu seu nome artístico. Coincidência ou não, o nome Lolita foi adotado antes da primeira inscrição na capital paulista.

“A gente estava descendo a avenida São João rumo à Duque de Caxias, quando minha mãe falou ‘vou mudar seu nome para Lolita Rodrigues’. ‘Lolita porque você tem uma prima na Espanha com este mesmo nome. E o Rodrigues por causa dos primos que moram lá em Santos.'”

Lolita, então, mostrou seu talento, tanto que venceu a Peneira de Ouro, da rádio Cultura, em agosto de 1942. Com o prêmio, pôde comprar móveis para a sala e uma imagem de santa Terezinha para a mãe.

A partir deste momento, porém, viveu uma espécie de drama. Com 14 anos, já não podia mais participar dos concursos infantis e ainda nova demais para entrar no circuito adulto.

A saída veio pelas mãos do jornalista Murilo Antunes Alves, que a levou para a rádio Record em 1944. Ela cantava às 23h, sob orientação do maestro Italo Izzo, e estudava durante o dia –formou-se professora pela Escola Normal Padre Anchieta.

Nesta época, Lolita também viu portas se fecharem. Como professora, não conseguia emprego por ser “uma artista que cantava no rádio”. Como pianista, instrumento em que praticava desde Santos, viu a família ficar sem dinheiro para comprar um ou manter o aluguel do qual ela praticava. Sobrou-lhe, então, o rádio.

Após ser dispensada da rádio Cultura, em 1946, Lolita chegou à TV Tupi por meio do maestro Gabriel Millor, onde fez um teste com o diretor Demerval Costa Lima, que a contratou. Nesta época começou a amizade com Hebe Camargo que resultou no momento histórico da TV.

O emprego na TV Tupi também colocou Lolita diante de outra oportunidade: a de se tornar apresentadora e a de atuar. Ganhou o prêmio Roquette Pinto de melhor cantora em 1950, ano de sua criação.
Foi na TV que conheceu e se casou, em 1951, com Airton Rodrigues, que se tornou seu parceiro na apresentação do programa Almoço com as Estrelas, na TV Tupi, onde ela protagonizou seu segundo momento histórico na TV, já que a atração foi uma das mais longevas no país, permanecendo no ar entre 1954 e 1982 –o casal assumiu o programa em 1958.

Adoniran Barbosa, Elis Regina, Caetano Veloso, Gal Costa e Pelé foram algumas das celebridades que passaram pelo programa. Em 1982, Lolita e Airton se separaram, e o Almoço com as Estrelas deixou de existir.

O fim do casamento com Airton foi também o choque mais duro que a atriz já sofreu. O caso foi bastante explorado na mídia, e isso afetou Lolita, que sempre se esquivava de falar sobre o assunto.

Durante os anos em que trabalhou como apresentadora, também se tornou atriz, trabalhando em obras televisivas na Tupi, na Excelsior, na Record, na Manchete e na Globo.

Seu primeiro papel como protagonista foi no teleteatro “O Corcunda de Notre Dame”, exibido às terças e sextas à noite, na TV Tupi, em 1957, quando fez o papel de Esmeralda.

Trabalhou também em novelas como “2-5499 Ocupado”, de 1963, em seu terceiro marco na TV, já que era a primeira novela diária da televisão Fez ainda “O Direito de Nascer” em 1978, “A Viagem” em 1994 e “Terra Nostra” em 1999.

Em 1987, interpretou Aldonza na novela “Sassaricando”, sucesso de Silvio de Abreu. Sua personagem era mãe de Tancinha (Claudia Raia), grande destaque da trama e marcou o primeiro beijo de Lolita na TV.

Outro programa que fez muito sucesso foi o Clube dos Artistas, que foi ao ar também pela TV Tupi de 1952 a 1980. Inicialmente foi apresentado por Homero Silva e Márcia Real, depois assumido pelo casal Airton e Lolita.

Pela atração passaram artistas como Roberto Carlos, Nara Leão, Cauby Peixoto, Jorge Ben e Michael Douglas, que na época fazia sucesso no Brasil com a série “São Francisco Urgente”.

Assim como o Almoço com as Estrelas, o programa Clube dos Artistas ruiu com a separação de Lolita e Airton, que tiveram uma filha, Sylvia, que é médica –em 1º de novembro de 1993, Airton morreu aos 71 anos, na cidade de Santos, de insuficiência respiratória.

Desde 2015, Lolita Rodrigues vivia em João Pessoa com a filha. “Já estou velhinha, meu prazo de validade acabou. Não podia mais ficar sozinha, tenho muita dificuldade para andar”, afirmou à época.

Em 2016 sofreu um acidente doméstico, em que fraturou o fêmur. Desde então as dificuldades para andar, contando com o auxílio de uma cadeira de rodas, foram tornando os dias mais difíceis.

Lolita, Hebe Camergo e Nair Bello formavam um dos trios mais conhecidos da televisão. Amigas por mais de 60 anos, Nair e Lolita trabalharam juntas em algumas novelas da TV Globo. “A Viagem”, “Uga Uga”, de 2000, e Kubanacan, de 2003, além do humorístico “Zorra Total”, da mesma emissora.

No final de 2017, em rara aparição pública –ela estava afastada da TV desde 2009–, Lolita assistiu ao espetáculo “Hebe, o Musical”, que retratava a vida da amiga de muitos anos, no teatro Procópio Ferreira, em São Paulo.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia
Alisha
Alorino
Antônio Carlos
Bianca Granado
Camila Santos
Edvaldo Corrêa
Elaine Damasceno
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
Giselle Suardi
Guilherme C Carneiro
Mateus Afonso
Mauro Mueller
Oseias Gomes
Papai em Dobro
Tais Targa