Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Presidente sul-coreana mantém regalias

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O impeachment da presidente sul-coreana, Park Geun-hye, aprovado nesta sexta-feira (9) pelo Parlamento do país, retira os poderes dela, mas não seus privilégios.

Embora o primeiro-ministro Hwang Kyo-ahn tenha assumido as responsabilidades dela, Park pode continuar vivendo na residência presidencial -a Casa Azul-, seguir usufruindo de segurança, carro e avião oficiais e recebendo seu salário de cerca de R$ 50 mil.

Além disso, ela mantém o título de "presidente".

Mas como Park não tem atribuições oficiais, não se sabe ao certo como ela ocupará seus dias até que a Suprema Corte do país decida se aceita ou não seu impeachment e a interrupção de seu mandato. Esse processo pode levar até seis meses.

Enquanto isso, Hwang despachará como presidente interino de seu gabinete em Seul. Ele será mantido no cargo até a Suprema Corte decidir o futuro de Park. Caso o tribunal aprove a deposição dela, novas eleições deverão ser convocadas em até 60 dias.

Em 2004, quando o então presidente Roh Moo-hyun foi afastado pelos parlamentares, ele passou o tempo na Casa Azul lendo livros e jornais, cercado de jornalistas, de acordo com a mídia sul-coreana.

Quando o Congresso brasileiro afastou Dilma Rousseff da Presidência, em maio, ela também seguiu morando no Palácio da Alvorada e recebendo metade de seu salário oficial, até sua deposição, em agosto.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo