Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Cristina Kirchner será julgada por supostas irregularidades no mercado de câmbio

A ex-presidente argentina, Cristina Kirchner, deverá enfrentar um julgamento por supostas irregularidades no mercado de câmbio cometidas durante sua gestão. O juiz federal Claudio Bonadío determinou o julgamento na causa que a ex-presidente (2007-2015) é acusada do delito de administração fraudulenta em prejuízo da administração pública, informou nesta quinta-feira o Centro de Informação Judicial do país.

Ainda será definida a data em que um tribunal federal iniciará as audiências no caso. Bonadío também mandou a julgamento pela mesma causa o ex-ministro e hoje deputado da peronista Frente para a Vitória Axel Kicillof e o ex-presidente do Banco Central Alejandro Vanoli, entre outras pessoas.

O magistrado considera que a ex-presidente era participante de uma manobra mediante a qual o BC argentino ofereceu no fim de 2015 dólares a um preço muito mais baixo que o valor de mercado para entrega em 31 de março, já sob um novo governo. Segundo o juiz, isso causou ao Estado uma perda de 77 milhões de pesos (US$ 4,929 milhões, no câmbio atual).

O delito imputado à ex-presidente prevê penas de cinco a 20 anos de prisão. Cristina Kirchner também é investigada por Bonadío por suposta lavagem de dinheiro de subornos de empresários. Outro juiz federal, Julián Ercolini a processou junto com dois ex-funcionários por suposta associação ilícita e administração fraudulenta na concessão de obras públicas.

A ex-líder afirma que é inocente e vítima de uma perseguição judicial orquestrada pelo poder político. Ela faz oposição ao atual presidente, Mauricio Macri. Fonte: Associated Press.