Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Equipe de campanha de Hillary pressiona FBI por detalhes de e-mails investigados

- Equipe de campanha de Hillary pressiona FBI por detalhes de e-mails

A equipe de campanha da candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, pressionou neste domingo o diretor do FBI, James Comey, a divulgar mais detalhes sobre os e-mails que, segundo ele, podem estar relacionados com a investigação sobre o uso por parte de Hillary de um servidor de e-mail privado. A equipe de Hillary pressiona ainda por informações se Comey já analisou esses e-mails.

Tim Kaine, vice de Hillary, disse que Comey deve ao público norte-americano ser mais claro sobre os e-mails em análise pelo FBI a apenas 10 dias da eleição, marcada para 8 de novembro. A mensagem de Kaine teve como objetivo combater o candidato republicano à Presidência dos EUA, Donald Trump, que aproveitou o ressurgimento da controvérsia sobre os e-mails para lançar novas dúvidas sobre a confiabilidade de Hillary.

"Pelo que sabemos agora, o diretor Comey não sabe nada sobre o conteúdo desses e-mails. Nós não sabemos se eles são para ou de Hillary", disse Kaine. O senador pelo Estado de Virginia disse que, se Comey não viu os e-mails, "eles precisam deixar isso completamente claro. Em seguida, eles devem trabalhar para ver os e-mails e divulgar as circunstâncias deles depois de terem feito essa análise".

O chairman da campanha de Clinton, John Podesta, disse que o jeito como Comey gerenciou a questão é "impróprio". Podesta pediu que Comey seja mais transparente, pois a divulgação veio "no meio da campanha presidencial tão perto da votação".

O FBI está investigando se há informações sigilosas em um dispositivo pertencente a Anthony Weiner, o ex-congressista que foi casado com a antiga assessora de Clinton Huma Abedin. Em carta ao Congresso na sexta-feira, Comey disse que o FBI tinha recentemente se deparado com novos e-mails ao investigar um caso não relacionado e está investigando se são material sigiloso.

A gerente de campanha de Trump Kellyanne Conway disse que Comey está em "um local impossível" ao reconhecer que o FBI está investigando as mensagens. "Se ele sentasse na informação, seria possível argumentar que também estaria interferindo na eleição" ao não divulgar a investigação, disse Conway.

Hillary disse na Flórida no sábado que é "muito estranho divulgar algo assim com tão pouca informação pouco antes de uma eleição" e acusou Trump de usar a questão para enganar os eleitores na etapa final da campanha.

Trump disse a uma multidão em Golden, Colorado, no sábado que a revisão das práticas de e-mail de Hillary pelo FBI levanta "a mais profunda esperança de todos de que a justiça possa ser finalmente feita adequadamente". A plateia vibrou com os problemas com e-mails de Hillary, que Trump chamou de o maior escândalo político desde Watergate.

A polêmica sobre práticas de e-mail de Hillary enquanto ela atuava como secretária de Estado tem perseguido a candidata há mais de um ano. Fonte: Associated Press.