Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

EUA e Europa concordam em manter sanções contra a Rússia, diz autoridade da UE

O governo dos Estados Unidos e autoridades europeias concordaram sobre a necessidade de manter as sanções contra a Rússia até que o acordo de cessar-fogo no conflito da Ucrânia seja completamente implementado, segundo a chefe de assuntos internacionais da União Europeia (UE), Federica Mogherini.

Após se reunir com o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, Mogherini disse que os EUA e a UE estão unidos em sua política de dar um fim na violência no lesta da Ucrânia. Mogherini também se encontrou com o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Mike Flynn, e com Jared Kushner, genro e assessor sênior de Trump.

Funcionários do governo americano disseram anteriormente que enquanto as sanções contra a Rússia permanecem, uma reavaliação das sanções impostas pelo ex-presidente Barack Obama - após descobertas de que russos foram responsáveis por ciberataques durante a eleição americana - ainda é possível.

Mogherini também disse que Tillerson viajaria para Bonn, na Alemanha, na próxima semana, para uma reunião de ministros de Relações Internacionais dos países do G-20. O Departamento de Estado não confirmou os planos de Tillerson.

Tillerson, como executivo-chefe da ExxonMobil, se opôs a sanções contra a Rússia. No mês passado, durante sua audiência de confirmação no Senado, ele disse que o acordo de cessar-fogo assinado em Minsk, em 2014, não foi completamente implementado e que isso daria apoio ao fornecimento de armas letais à Ucrânia.

Antes da posse, Trump disse que apoiaria a suspensão de sanções contra a Rússia em troca de um acordo de redução de armas nucleares com o país. Essas sanções fazem parte de um conjunto de restrições separado do acordo de Minsk.

Mogherini também discutiu o conflito entre israelenses e palestinos e o acordo nucelar com o Irã. Ela disse que estava buscando mais clareza sobre a posição de Washington no processo de paz no Oriente Médio. Ela também reiterou o comprometimento da UE em criar as condições necessárias para que palestinos e israelenses cheguem em uma solução que seja boa para ambos os lados.

A ainda italiana disse que os americanos garantiram comprometimento com o acordo nuclear do Irã. Fonte: Dow Jones Newswires.